domingo, 29 de junho de 2008

OS INTOCÁVEIS (vote na enquete ao lado)


Projeto de Lei no Senado Federal parece querer criar uma classe especial de pessoas.

Projeto de Lei (PL) 122/2006 em tramitação no Senado Federal concebe como crime qualquer crítica a práticas e opiniões homossexuais. Esse Projeto já foi aprovado na Câmara dos deputados e agora está em análise pelos senadores.
Nosso país, considerado um dos mais tolerantes e respeitosos em relação às diferenças raciais, étnicas e religiosas, encontra-se diante de uma grave ofensa ao direito de liberdade de expressão e culto garantidos pela constituição.

OPINIÃO DE ALGUNS EVANGÉLICOS

Pr. Silas Malafaia
“uma afronta à democracia”
“No estado democrático ninguém está imune à crítica”

Caio Fábio

“Há de se ter sempre leis que ao garantirem os direitos de minorias não o façam contra a expressão da maioria.”
“tal projeto não apenas incorre em várias inconstitucionalidades... cria precedentes hostis e pervesos.”

OPINIÃO DE ALGUNS POLÍTICOS:

Deputado Walter Brito Neto (PRB-PB)
"Os padres, as lideranças religiosas, os pastores não podem ter a sua palavra cerceada por um projeto desses, porque ele acaba desrespeitando a liberdade de expressão e também a liberdade religiosa. É importante a união de todos os religiosos neste momento para que possamos preservar um direito garantido pela Constituição"

Senador Magno Malta (PR-ES), 4º Secretário do Senado
“O projeto propiciará inclusive a impunidade da pedofilia e necrofilia. O pedófilo vai dizer que a opção sexual dele é menino de 9 anos.”
"o projeto cria um império homossexual no Brasil, uma casta diferenciada que não foi dada aos negros nem está nos estatutos do índio, do idoso ou do deficiente físico"

O deputado católico Miguel Martini
“Querem calar a boca dos cristãos para impedir que falemos a verdade, que está na Bíblia. Nós amamos os homossexuais, porque são nossos irmãos, mas não amamos o homossexualismo. Não aceitamos discriminação de ninguém, mas não aceitamos sermos discriminados em nossas convicções religiosas”,

Principais pontos da nova lei:
1 - constrangimento intimidatório de ordem moral, filosófico ou psicológico - 1 a 3 anos de prisão
2 - injúria (ofender reputação, dignidade ou decoro) - 1 a 3 anos de prisão
3 - dispensa direta ou indireta de empregado homossexual - 2 a 5 anos de prisão
4 - impedir ou proibir permanência em estabelecimento público ou privado aberto ao público - 1 a 3 anos de prisão
5 - recusa de recrutamento de candidato homossexual- 3 a 5 anos de prisão
6 - impedir hospedagem em hotel, motel ou pousada - 3 a 5 anos de prisão
7 - impedir aluguel ou venda de imóveis a homossexual - 2 a 5 anos de prisão
8 - impedir manifestação de afetividade em locais públicos ou privados abertos ao público - 2 a 5 anos de prisão
Efeitos da condenação: prisão, pagamento de multa de até 10 mil Ufir e suspensão de funcionamento do estabelecimento por três meses

Fonte: Agência Senado


O QUE POSSO FAZER?

1 - ENVIAR EMAIL PARA OS SENADORES
http://www.portasabertas.org.br/liberdadereligiosa/contatos.asp

MODELO DE EMAIL:

http://www.portasabertas.org.br/liberdadereligiosa/modelo_de_carta.doc

2 - LIGAR PARA O ALÔ SENADO:
0800 61 2211, Dizer que é contra o PL 122/2006

3 - DIVULGAR A OUTRAS PESSOAS QUE LUTAM PELA CAUSA DA FAMÍLIA

4 - ORAR


MANIFESTAÇÃO DE PÁGINAS CRISTÃS NA WEB

FOTOS DA MANIFESTAÇÃO EM BRASÍLIA: http://olharcristao.blogspot.com/2008/06/um-cavalo-de-troia-escondido-no-projeto.html

http://juliosevero.blogspot.com/

http://altairgermano.blogspot.com/2008/06/propaganda-alma-do-pl-122.html

http://www.portasabertas.org.br/liberdadereligiosa/default.asp

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Você Sabia...



... QUE EM SÃO PAULO acontece a Parada do Orgulho Hétero?

A Segunda edição da Parada ocorreu esse ano, no domingo 01 junho, nas proximidades do MASP (Museu de Arte de São Paulo), na Av. Paulista.

Além da garoa e do frio de 13 graus, os participantes enfretaram acusações de "homofobia". A idealização do evento teve início no Orkut. A manifestação ocorre na semana depois da parada gay em SP.

O grupo foi organizado pelo professor de inglês e estudante de design Cristiano Vicente, 21 anos, tem como principal intuito fazer valer o princípio de liberdade de expressão.

"Nós não somos contra os gays. Eles têm todo o direito de sentir orgulho do que são. O que nós queremos é fazer o mesmo, exprimir nosso orgulho pelo que somos." Diz Cristiano Vicente.

"Sabemos que a vida de um hétero é muito mais fácil que a de um gay. Por isso mesmo, não estamos aqui para reivindicar nada. Queremos apenas fazer as pessoas entenderem que ser hétero também é motivo de orgulho." Continua o idealizador.

A comunidade da Parada do Orgulho Heterossexual e Simpatizantes pode ser acessada em: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=33677634 , e a comunidade PARADA HETERO 2008 - eu vou! em http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=34436552


segunda-feira, 23 de junho de 2008

SE MINHA BÍBLIA FALASSE...

Talvez os mais puritanos afirmem logo que suas Bíblias FALAM, pois é a Palavra do próprio Deus.
Ao propor essa reflexão não pretendo falar de questões teológicas como Inspiração, Revelação ou em que sentido a Bíblia “é” a Palavra de Deus ou contém a Palavra de Deus.
Quero refletir na Bíblia como livro a ser lido. Se ela pudesse reclamar algumas situações ao seu usuário, o que ela diria?
Lembro-me dos desenhos animados no meu período de infância, quando algum objeto inanimado não gostava do mal uso a que estava sendo submetido, se voltava contra seu utilizador e reclamava.
A Bíblia também traz registros de fatos curiosos assim. Lembram da mula de Balão? Quando o profeta tentou utiliza-la de forma inadequada, o animal voltou-se contra o profeta e queixou-se (Nm 22.28). Em Lc 19.40, Jesus diz que em caso extremo as próprias pedras clamariam.
Em termos de questões literárias, nessas duas situações estamos diante de hipérboles.
Consideremos também a hipérbole para nossa reflexão...

SE MINHA BÍBLIA FALASSE... O QUE ELA DIRIA?

SE MINHA BÍBLIA FALASSE... Ela me pediria para ser mais lida. Apesar de ser o livro mais vendido no Mundo, tudo indica que não seja o mais lido. Muitos de nós a lemos ocasionalmente, algumas vezes só quando estamos nos cultos. Tem pessoas que até têm dificuldades de encontrar a Bíblia quando vão ao culto... Não sabem nem onde ela está guardada.

SE MINHA BÍBLIA FALASSE... Diria: não me use apenas como ferramenta de trabalho. Não me use apenas quando você vai pregar, ensinar ou fazer algo que precise de uns versículos como justificativa. Muitas vezes utilizamos a Bíblia só quando vamos exercer nossas tarefas eclesiásticas. Não a utilizamos devocionalmente. Não a lemos com a expectativa de Deus falar conosco.

SE MINHA BÍBLIA FALASSE... Reclamaria: Não é isso que estou dizendo. Você esta afirmando algo que eu não estou dizendo em minhas páginas. O maior erro que afeta a vida cristã é a má interpretação das Escrituras. Muitos são alvo desse problema apenas por falta de vontade ou esforço. Para se evitar os grandes erros de interpretação não requer excepcional conhecimento hermenêutico (ciência de interpretação). Uma leitura freqüente e contextual já é suficiente para minimizar grandes erros.

SE MINHA BÍBLIA FALASSE... Talvez dissesse: POR FAVOR! PELO AMOR DEUS! Fale de mim para as outras pessoas. Quando conversar com alguém, utilize meus princípios para endossar sua conversa e pensamento. Se quisermos compartilhar com outras pessoas o que Deus tem feito em nossas vidas, nada melhor que fazê-lo com base bíblica. Não citar mecanicamente versículos decorados. Devemos mostrar, mesmo sem citar capítulo e versículo, que nossas opiniões são permeadas pela Bíblia.

SE SUA BÍBLIA FALASSE... HUM!

O QUE VOCÊ ACHA QUE ELA DIRIA?

Celson Coêlho
Diretor DEBQ-PE
Editor do Blog


(reprodução autorizada desde que mantida a integridade do texto, mencionado o autor: Celson Coêlho e o blog: www.ebqrecife.blogspot.com)

domingo, 15 de junho de 2008

PELADEIROS! BOLEIROS! CRAQUES!

*Pra. Márcia Pinheiro

"Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Jesus Cristo,..." I Tm 4:6a

Vivemos no país do futebol, todos os brasileiros e inclusive as brasileiras gostam do esporte e procuram buscar cada vez mais informações sobre o esporte. Comigo não é diferente, também busco informações para fazer uma analogia. Vejamos as nomenclaturas a seguir:

Peladeiros – assim são chamadas as pessoas que praticam futebol por mero lazer. Praticam o esporte nos finais de semana, sem muita regra, ética e preocupação. Inclusive sem nenhuma preocupação com sua saúde.

Boleiros – são aqueles que conhecem algumas regras do futebol. Tiveram alguma experiência com o futebol profissional, entenderam as regras, a ética e as praticaram por algum tempo. Motivos variados não permitiram o avanço da carreira.

Craques - conhecem o futebol, possuem intimidade com a bola, sabem as regras, respeitam a ética e são disciplinados. Possuem compromisso com o clube, a torcida. Procuram conhecer o adversário, suas estratégias e táticas. Tornam-se profissionais competentes e destacados e muitos chegam a campeões.

Qual tem sido sua posição no jogo da vida!!!!

Você tem sido peladeiro da fé?
Sem compromisso com Deus, sua Palavra, em com a Igreja. Corre errado, chuta pra qualquer lado.Ou você é um boleiro, por conhecer um pouco, acha que pode ir sozinho fazer o gol de placa e sair correndo pra torcida...

A posição que JESUS quer que você tenha sempre é a de craque, de campeão que leva a sério o compromisso com o Senhor e sua Palavra, levando a sério cada instrução.

Fomos chamados para sermos vitoriosos, mas precisamos seguir as orientações do nosso treinador, JESUS CRISTO.


* Pastora Auxiliar na cidade de Campinas/SP, Pedagoga e Psicopedagoga, Mestre em Educação/Unicamp, Diretora Local DEBQ Templo Central , Diretora Regional DEBQ– Região I, Instrutora DEBQ Avançado, Docente do Instituto Haggai, DEBQ, ITQ e da MQCC. Contato: email: marciapinh@terra.com.br

quarta-feira, 11 de junho de 2008

EXPRESSE SUA INDIGNAÇÃO!


Mostre sua indignação como cidadão e como evangélico.
Diga NÃO!
Não fique de braços cruzados enquanto roubam nosso direito constitucional de liberdade religiosa e liberdade de expressão.

ACESSE O LINK do Congresso Nacional abaixo, click no email dos senadores do seu estado e mostre seu repúdio.

http://www.senado.gov.br/sf/senadores/senadores_atual.asp?o=3&u=*&p=*

Veja mais informações em:
http://juliosevero.blogspot.com/ (A grande desmobilização: O que está em jogo nos acordos envolvendo o PLC 122/2006)
http://blogueirosevangelicos.blogspot.com/2007/10/pl-1222006-senadores-magno-malta-e.html (PL 122/2006: SENADORES MAGNO MALTA E MARCELO CRIVELLA SOBRESSAEM REPRESENTANDO PROTESTANTES)

Celson Coêlho
Diretor DEBQ-PE
Editor do Blog

domingo, 8 de junho de 2008

RAZÕES POR QUE AINDA ACREDITO NA ESCOLA BÍBLICA

*Por Celson Coêlho

Depois desses dias de enquete em nossa página, também recai sobre mim a necessidade de expressar por que ainda acredito na Escola Bíblica.
Durante esses aproximados 10 anos de trabalho com Escola Bíblica (professor de adolescentes, jovens, vice-diretor, diretor local e diretor estadual), frequentemente tento revisitar as minhas razões por que ainda acredito em Escola Bíblica. Não tenho me arrependido, por isso continuo...


  1. ACREDITO na Escola Bíblica, pois o método de ensino da Palavra proposto por sua estrutura tem permeado toda história do povo de Deus. Desde primeiro casal, quando foi orientado em diálogo direto com o próprio Deus. Passando pelo povo de Israel, tanto na época de Moisés (Dt 6.1-9), como entre os profetas que tinham como atividade principal revelar a vontade do Senhor ao povo. Assim também foi com o advento de Cristo, ele afirmou em Mc 14:49 que ensinava constantemente. Essa prática também foi seguida pela Primeira Igreja, não cessavam de ensinar a Cristo (At 5.42). Na igreja pós apostólica encontramos essa forma de propagar a Palavra da Salvação. A Reforma Protestante (1500 d.C.) nasceu exatamente do estudo detalhado da Bíblia e uma de suas bandeiras era o estudo da Bíblia (Sola Scriptura) ao alcance de todos. No período de avivamentos do século 18 também temos evidenciado um apego pelo estudo das Escrituras.
  2. ACREDITO na Escola Bíblica, pois o método de interação na explanação da Palavra foi um dos fatores que contribuíram para um crescimento quantitativo e qualitativo da Igreja Primitiva. Lemos em Mc 12.35 que enquanto Jesus ensinava, ele perguntava a seus ouvintes. Jesus pregava a grandes multidões, mas também falava a grupos pequenos e procurava interagir por meio de perguntas e usando parábolas com significado direto para seus ouvintes. Foi através dessa possibilidade de questionamento que Estevão demonstrava a sabedoria do Espírito. At 9.6 diz que os ouvintes “discutiam” (questionava, examinava junto) com aquele que explanava a Palavra. Os crentes de Beréia eram considerados de mente mais nobre “pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim” (At 17.11).
  3. ACREDITO na Escola Bíblica, pois a prática do ensino faz parte dos dons/ministérios concedidos por Deus a Igreja (Rm 12.3-8 e Ef 4.7-12). E, em sua totalidade, eles são necessários para o verdadeiro crescimento do Corpo. Essa utilidade no exercício dos dons/ministérios fica claro no texto de Ef 4.12,13 e 14 “com vistas [com o objetivo] ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro.”
  4. ACREDITO na Escola Bíblica, pois na Grande Comissão ordenada por Cristo a Igreja em Mt 28.19,20 entendo que o “fazer discípulos” é possível com a concretização de três outros passos: “IR”, “BATIZAR” e “ENSINAR”. Realizaremos a Grande Comissão do Mestre ao ENSINAR a sua Palavra. Fazendo assim temos a certeza que Ele estará conosco “todos os dias até a consumação dos séculos” (Mt 28.20).
  5. ACREDITO na Escola Bíblica, pois a história recente da Igreja (os últimos duzentos anos) revela que o departamento criado por Robert Raikes, em 1870, a Escola Bíblica, se demonstrou como a melhor e mais eficaz forma de fortalecimento da igreja. Nas últimas duas décadas da Igreja falou-se muito sobre forma de crescimento da igreja (igreja em célula, multiministério, rede ministerial, igreja dirigida por propósitos, etc). Porém, nenhuma das estratégias propostas alcançou o mesmo êxito que a Escola Bíblica para um crescimento quantitativo e qualitativo da Igreja. A Escola Bíblica conseguiu o que a maioria desses métodos não alcançou: ser eficaz por muito tempo e ser útil em quase todas as realidades das igrejas.
  6. ACREDITO na Escola Bíblica, pois ela é o maior e melhor celeiro para surgimento de cooperadores para a Obra do Senhor. Muitos pastores, pastoras, missionários, líderes de jovens, professores de seminários, líderes da Obra de Deus deram seus primeiros passos na Escola Bíblica. Nela temos a possibilidade de trabalhar o surgimento de uma nova geração de líderes. As aulas possibilitam a exposição de novos cooperadores a um público menor, facilitando o acompanhamento e orientação.

    Aqui estão as minhas razões.
    Revise as suas... Pondere as suas conclusões.
    A Escola Bíblica está diante de você...
    Parafraseando Paulo: “Examine-a, pois!”
    A sua posição com relação a ela pode fazer muita diferença.

    Celson Coêlho
    Diretor DEBQ-PE
    Editor do Blog

(Reprodução autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o blog: www.ebqrecife.blogspot.com)

segunda-feira, 2 de junho de 2008

DEBQ EM AÇÃO, A Utilização da Gincana como Elemento Motivacional

Durante os meses de setembro, outubro e novembro de 2007, o DEBQ sede em Recife realizou uma gincana pedagógica muito construtiva. As classes, através de uma competição sadia, demonstraram o aprendizado desenvolvido nas aulas. A Classe campeã mostrou muita garra e espírito de equipe durante as atividades.
A Gincana Quadrangular foi realizada com o intuito de motivar, despertar e organizar a aprendizagem de forma lúdica. O seu desenrolar se deu enquanto estudávamos o Evangelho Quadrangular: História e Doutrinas. As atividades da Gincana foram permeadas por esse tema.
Podemos considerar que essa atividade teve dois pontos altos. O primeiro foi quando solicitamos que cada classe confeccionasse um cartaz explicativo das quatro doutrinas fundamentais da IEQ. Deveriam explorar os símbolos, as cores e as faces correspondentes do livro de Ezequiel relacionadas a cada doutrina. Com o cartaz em mãos, dois alunos de cada classe ficaram responsáveis em explicá-lo perante todos os alunos do DEBQ.
O outro momento se deu na apresentação requerida de cada classe. Como atividade mais importante da Gincana, as turmas ficaram responsáveis em realizar uma apresentação que tivesse como tema o Evangelho Quadrangular. Tivemos peças teatrais, coreografias que utilizaram hinos da IEQ (hino oficial, hino de missões, etc) e teatro de fantoches.
Essas duas atividades, devido à criatividade, inovação e

boa apresentação pelos alunos, foram reproduzidas nos cultos de domingo à noite. Assim, além do reforço da aprendizagem extra classe, também divulgamos o DEBQ de forma consistente e criativa.
Nosso êxito se deu devido ao apoio irrestrito do nosso pastor. O Rev. Valdir Facioni, com sua visão educacional e espírito guerreiro, orientou e abençoou essa atividade.
A equipe de senhoras, classes Mulheres Guerreiras (professoras: irmãs Lizete e Neuza) e Mulheres Vitoriosas (professoras: irmãs Verônica e Edjane), sagrou-se campeã da Gincana. Contudo, sabemos que a Educação Bíblica e todos que fazemos parte da IEQ sede saímos vencedores.

CUIDADOS COM A REALIZAÇÃO DE GINCANAS

1) Quanto a sua duração. Muitas vezes iniciamos uma gincana e por muito demorar a tornamos enfadonha. Parece não ter conclusão; as pessoas não sabem que terminou.
2) Quanto à flexibilidade. A gincana deve ser planejada. No entanto, não pode ser escrava do planejamento. A Escola Bíblica é um departamento da igreja, que algumas vezes pode ter outra atividade de maior importância. As tarefas da gincana devem ser modificadas quando necessário.
3) Quanto ao tempo da aula. Normalmente a gincana se faz no próprio dia da Escola Bíblica. Ou seja, a atividade requerida pela gincana é construída durante a semana e apresentada na Escola Bíblica. Deve ser usado o tempo após a aula, sob orientação do pastor. Nada de dez alunos para explicar algo no mesmo dia. Que haja uma divisão das apresentações. Mesclar uma atividade demorada por equipe a cada dia com atividades rápidas com mais equipes. Lembre-se: a demora para liberar os alunos pode acarretar numa desistência de alguns para o próximo encontro.
4) Quanto às atividades. A gincana não deve ter o espírito de competir por competir. A competição deve ser usada apenas como agente motivador. Os objetivos educacionais devem estar claros. As atividades devem requerer do aluno a utilização, de forma criativa, do aprendizado em sala de aula.
5) A gincana é meio e não fim. Devemos ter claramente a idéia que a gincana é uma tarefa de apoio a Escola Bíblica que tem como finalidade a educação. Quando a gincana perder esse alvo ela estará andando por um caminho não desejado. Tudo deve ser feito sob a bênção do pastor, sempre compartilhado com os professores e guiado pela vontade de Deus através da oração.

Celson Coêlho
Diretor DEBQ-PE
Editor do Blog