domingo, 29 de março de 2009

A MEZUZÁ

Quando o anjo da morte passou sobre o Egito, matando todos os primogênitos, as famílias judias foram protegidas pelo sangue do cordeiro pascal espargidos nas ombreiras das portas de suas casas (Êxodo 12.23). Hoje muitos judeus prendem uma mezuzá nas ombreiras das portas como lembrete da presença de Deus e da redenção do povo judeu no Egito.

A mezuzá (hebraico, “ombreira da porta”) um pequeno estojo que contém um pergaminho no qual é escrito a seguinte oração “Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as intimarás aos teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão e te serão por testeiras entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais da tua casa, e nas tuas portas.” (Deuteronômio 6.4-9).
O pergaminho continua com Deuteronômio 11.13-21, que acentua obediência aos mandamentos e as recompensas de uma vida reta.

Mesmo hoje cada pergaminho da mezuzá é cuidadosamente escrito por escribas qualificados, usando os mesmos estritos procedimentos que usam ao escrever as leis. Depois é enrolado firmemente e colocado no estojo de sorte que a palavra SHADDAI (“Todo-Poderoso”) apareça através de uma pequena abertura perto do topo. Lê-se uma oração especial quando a mezuzá é presa quase ao topo da umbreira direita da porta. Embora a popularidade da mezuzá tenha diminuído em anos recentes, muitos judeus ainda a beijam tocando os lábios com os dedos e a seguir levantando-os até ela quando entram numa casa e ao saírem dela. Ao mesmo tempo, recitam o Salmo 121.8: “O Senhor guadará tua saída e tua entrada, desde agora e para sempre.”

A mezuzá é um lembrete diário para a família judaica de sua responsabilidade para com Deus e a comunidade. Para a comunidade, é um sinal de que este é um lugar onde as leis de Deus imperam supremas. Dentro deste santuário, longe das influências mundanas, a família judaica estuda as Escrituras, observa os feriados religiosos e instrui os filhos na fé dos seus pais.
Um antigo erudito hebreu explicou a finalidade da mezuzá comparando-a aos guardas de um rei terreno. Do mesmo modo que um rei tem guardas à porta para garantir-lhe a segurança, assim o povo de Israel está seguro dentro de seus lares por que a Palavra de Deus está à porta para guardá-lo.

(Extraído na íntegra da Revista da Bíblia, Número 19, 2000, editora JUERP, pg 31)

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante.
Porém, comentários ANÔNIMOS não serão publicados.
Celson Coêlho