quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

PEDAGOGIA DE JESUS (Resenha do livro de J. M. Price)


*Por Celson Coêlho

Um antigo clássico da educação cristã sempre é bem vindo quando relançado. Pedagogia de Jesus, escrito originalmente em inglês em 1954 por John Milburn Price, foi relançado com uma nova roupagem, edição atualizada e revista em solo brasileiro em 2008.
Meu primeiro contato com este texto deu-se no 2° ano da Faculdade de Teologia (ano de 2002), quando estudava a disciplina Educação Cristã. Naquela oportunidade apenas em bibliotecas ou raros “sebos” poderíamos encontrar o livro que se tornou texto de referência ao se falar de educação na igreja.

Price discorre em 9 capítulos sobre a maneira clara, concisa e eficiente do ensino de Cristo. Em Jesus o ensino se fundamentava primeiramente no que ele era, depois no que ele falava. Por isso no 1° capítulo é tratada a IDONEIDADE DE JESUS PARA ENSINAR. Depois o autor destaca as CARACTERÍSTICAS dos seus alunos, os DISCÍPULOS. Eles não eram cristãos prefeitos, gozavam de tantas limitações como os alunos de nossas escolas bíblicas hodiernas. OS OBJETIVOS DO ENSINO DE JESUS fazem parte do 3° capítulo. O Mestre “nunca ensinava somente pelo fato de ser chamado a ensinar. Ele sempre tinha um propósito e fins definidos a atingir” (pg 45).

Na quarta parte do livro temos OS PRINCÍPIOS da obra de ensino do Salvador. Apesar da espontaneidade ao ensinar, Jesus sempre se baseava em princípios que valorizavam as pessoas e seus ambientes de convívio. SEU MATERIAL DE ENSINO encontra-se analisado no 5° capítulo. Dentro das fontes que ele usava, destaque-se o apego a Palavra de Deus como um todo, não apenas em algumas partes, como é costume em nossa época. A estrutura das lições de Cristo é mostrada no 6° capítulo (SUA MANEIRA DE ENSINAR). Aqui, habilmente, o escritor detalha o início, o desenvolvimento e a conclusão da aula dada pelo Mestre à mulher samaritana (João 4).

Na sequência, temos dois capítulos (7 e 8) trabalhados com os MÉTODOS USADOS POR JESUS. Estes métodos “brotavam da ocasião e da necessidade” (pg 111) encontradas ao lidar com seus ouvintes. Seu uso foi diversificado. Cristo não estava escravizado a um determinado método. Na última parte do texto temos OS RESULTADOS DO ENSINO de Cristo. Price destaca os frutos alcançados pelo trabalho docente do nosso Senhor e deixa evidente que também poderemos lograr êxito proporcional se dermos o real valor ao ensino.

Somando-se ao texto propriamente dito temos o índice remissivo e as referências bibliográficas. Num total de 157 páginas, encontramos uma boa diagramação agora incrementada por tabelas que auxiliam na compreensão dos dados (elaboradas pela revisora). As editoras Bom Pastor e SABRE são responsáveis pelo relançamento.

Pedagogia de Jesus que, conforme prefácio, teve como alvo primeiro do autor os líderes que trabalham com a Escola Bíblica, ainda é atualíssimo em termos de educação bíblica. Também é de muita valia para pastores, professores de teologia e todos aqueles que vêem a educação como mola propulsora de uma verdadeira libertação.

Celson Coêlho
Diretor DEBQ-PE
Editor do Blog

2 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom! Achei importantíssimo a percepção de que Jesus tem "o apego a Palavra de Deus como um todo, não apenas em algumas partes, como é costume em nossa época." Isso é o que devemos trazer, ou melhor, manter nos dias de hoje! Valeu, Celson. Deus te abençoe!

João Victor Moraes

Celson Coêlho disse...

Olá João Victor, PAZ!
Fiquei feliz por sua visita e comentário. Vindo de você sei que é algo verdadeiro e bem analisado.
Busquemos constantemente em nossa prática cristã e em nosso exercício ministerial o apego a totalidade da Palavra de Deus. Ela é nossa bússula.
Que Deus te abençoe.
Contamos com suas orações.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante.
Porém, comentários ANÔNIMOS não serão publicados.
Celson Coêlho