domingo, 28 de março de 2010

INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS, subsídio para lições da EBQ


1 – O AUTOR

Apesar de ser um livro anônimo (em seu texto não está declarado o autor), a tradição da igreja cristã têm aceitado e defendido que Mateus o tenha escrito. Mateus, que fora um dos apóstolos de Cristo, é citado em todas as listas dos Doze (Mt 10.2-4; Mc 3.16-19; Lc 6.13-16 e At 1.13). Seu nome significa DOM DE DEUS. Em Mt 10.3 ele é chamado de “o publicano”. Era um cobrador de impostos. “Os coletores eram como uma classe, detestada não somente pelos judeus, mas também por outras nações, tanto por causa de seu emprego como pela sua crueldade, avareza, e engano, usados para realizar sua tarefa.” (Bíblia Online, versão 3.0)


2 – ESTRUTURA E PROPÓSITO

O primeiro evangelho da Bíblia cristã é o mais judaico dos livros do Novo Testamento.
Estruturalmente o livro dispõe de 5 grandes blocos. São 5 principais narrativas. Após a conclusão de cada bloco de narrativas é possível encontrar a frase: “... tendo pronunciado Jesus estas palavras (parábolas, instruções, ensinamentos)...” [Confira Mt 7.28; 11.1; 13.53; 19.1 e 26.1].
Eis uma proposta dessa estruturação concedida por Hale (1983; pg 92):

I) O Reino: sua natureza e características (4.12-7.28)
II) A apresentação e Propagação do Reino (8.1-11.1)
III) A inauguração do Reino (11.2-13.53)
IV) A relação de Jesus para com o Reino (13.54-19.1)
V) A última apresentação formal do Reino a nação judaica (19.2-26.1)

Entre 1.1 e 4.11 temos a apresentação do Messias. Nos capítulos 26, 27 e 28, temos a paixão e ressurreição.
Para alguns estudiosos a intenção do escritor com essa estrutura era comparar Cristo com Moisés, autor dos cinco livros da lei judaica. Cristo pode ser comparado a um novo Moisés, que ensina uma nova lei. Pelo que vemos em Mt 5.17, entendemos que a novidade da lei não é sua revogação (gr. katalisai: anulação, aniquilação), antes, o novo Moisés veio para cumpri-la (gr. plerosai: cumprir de forma absoluta; torna completa, plena).

O evangelho de Mateus foi escrito por um homem de fé, participante do grupo dos doze apóstolos. Os destinatários originais deste livro foram judeus que aderiram ao cristianismo que acabara de brotar. Visando defender a nova fé (elemento apologético) e ganhar os praticantes do judaísmo (elemento evangelístico), o apóstolo Mateus, apresenta uma nova dimensão de vida com Deus: O NOVO REINO. O Reino de Deus tem um Rei que era aguardado por várias gerações de judeus, o Messias esperado. Mateus comprova que Jesus era o Messias desejado conforme expresso no antigo Testamento.
Sendo assim, o propósito do livro é apresentar Jesus como Rei prometido por Deus ao povo de Israel, o grande Messias. O tema do livro é o Reino do Céu (ou de Deus). Podemos dizer que Mateus resumia o ministério do Messias dessa forma: “e percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino, e curando todas as doenças e enfermidades entre o povo.” (Mt 4.23)


3 – TEMAS TRATADOS NO LIVRO


NOVA VIDA EM CRISTO: O conhecido Sermão da Montanha expõe como deve ser a vida do novo Israel, os que aceitaram Jesus como o REI. Nos capítulos 5, 6 e 7 temos as regras de conduta para este novo reinado.

IGREJA: o evangelho de Mateus é o único dos quatro que faz uso do termo IGREJA (Mt 16.18 e 18.17). Em grego temos a palavra “ekklesia” (“ek”: para fora, “kaleo”: chamar), significando os chamados para fora. Em compensação, este evangelho tem o uso minimizado do termo sinagoga, que era a assembléia (ajuntamento) de judeus. Mateus usa o termo apenas duas vezes, enquanto Marcos e Lucas têm em torno de 8 ocorrências cada um. Os participantes do novo REINO são os chamados para fora, a igreja do Senhor, e não os antigos participantes do reino de Israel, que agora se reuniam nas sinagogas.

REINO DOS CÉUS (DE DEUS): o capítulo 13 revela o interesse do autor por este tema. Algumas parábolas são proferidas por Jesus para ilustrar o conceito cristão sobre o assunto. O interesse era corrigir falhas sobre a concepção do reino. São destacados seu valor, natureza e a necessidade de buscar este reino.

AS ÚLTIMAS COISAS (escatologia): Jesus revela predições sobre as últimas coisas através de parábolas (capítulos 24 a 26). Com a vinda do Filho do Homem, todos devem estar preparados (parábolas das virgens e dos talentos).


Vimos algumas considerações introdutórias sobre o primeiro evangelho da Bíblia cristã. Durante três meses a Escola Bíblica Quadrangular em todo Brasil estará estudando temas ligados a esse evangelho. Mateus tem várias lições para o homem moderno , convido você para participar dessas aulas em uma de nossas igrejas e ACOMPANHAR APRODUNDAMENTOS E DEBATES sobre as lições aqui em nosso BLOG.


REFERÊNCIAS:

HALE, Broadus David. INTRODUÇÃO AO ESTUDO NOVO TESTAMENTO. JUERP. 1985.
TASKER. R. V. G. MATEUS: introdução e comentário. Vida Nova. 1980.

NESTA SEMANA teremos o subsídio para a PRIMEIRA LIÇÃO da revista. NÃO PERCAM!



(reprodução autorizada desde que mantida a integridade do texto, mencionado o autor: Celson Coêlho e o blog: www.ebqrecife.blogspot.com)



Celson Coêlho
Diretor do DEBQ-PE
Editor do Blog

sábado, 27 de março de 2010

COISA DE CRENTE (a nova onda de não poder cantar parabéns)

(imagem:http://mfm-a-roda.blogspot.com/2009/07/socrates-nao-acerta-uma.html)

*Celson Coêlho
Crente é fogo!
Às vezes se apega a cada coisa que não sei não...
Há alguns dias a trás recebi um email que diz que no aniversário de uma pessoa não devemos cantar “PARABÉNS pra você”. Também já vi que tem gente abraçando esta causa. A ideia que transmitem é que PARABÉNS significa PARAR (verbo) os BENS. Será que é isso mesmo?

O idioma português, em relação a outros, é relativamente novo. Às vezes temos palavras criadas a partir de outra língua ou pela união de outras duas palavras conhecidas. Esta segunda possibilidade, pela gramática de nossa língua, é chamada de FORMAÇÃO DE PALAVRAS.

Para Ernani Terra (pg 69-73), a FORMAÇÃO DE PALAVRAS pode ser por: (1) Composição, união de dois radicais diferentes (ex.: passatempo); (2) Derivação por afixos (ex.: INfeliz, lealDADE); (3) Onomatopéia, reprodução aproximada de sons ou ruídos (ex.: zunzum, tique-taque); (4) Abreviação (ex.: FGTS); e (5) Hibridismo, união de palavras oriundas de línguas diferentes (ex.: sociologia, sócio[latim] e logia [grego]).

O termo PARABÉNS se encaixa na situação (1), formação por COMPOSIÇÃO. Este termo é plural de PARABEM, em desuso na língua portuguesa.
PARABÉNS: “Interjeição que expressa o desejo de que tudo vá bem à pessoa felicitada, i.e. ´para o bem´ de alguém.” Congratulações.
(http://www.dicionarioinformal.com.br/definicao.php?palavra=parab%E9ns&id=433, acessado em 27/03/10)

O termo é a união de PARA+BEM. Acredito que não precisa desprender tempo com a palavra BEM. Então vejamos o termo PARA. Esta é uma palavra HOMOFONA (mesmo som). Ao ser pronunciada, pode ser confundida entre o verbo PARAR e a proposição PARA. Antes da Nova Ortografia (com validade a partir de Janeiro de 2010), estes termos poderiam ser diferenciados pelo acento no primeiro “A” do verbo: PÁRA. Neste caso significa FINDAR, CESSAR. A preposição PARA, significa COM O DESTINO, COM A FINALIDADE, EM DIREÇÃO (EX.: eu fiz tudo PARA ser campeão).
Qual dos dois significados o termo é aplicado em PARABÉNS?
Ainda não percebeu?
Vou conceder outra ajuda. Quando o verbo PARAR é aplicado em outras composições, pela ortografia antiga, aparecia o acento gráfico, ex.: PÁRA-choque, PÁRA-brisa, PÁRA-lama. (obs.: pela nova ortografia não se grafa desta forma). Além do mais, tudo indica que teria que aparecer o hífen entre as palavras. Resumindo, se PARABÉNS significasse “parar os bens” deveria ser grafado assim: “PÁRA-BÉNS”.

ENTÃO, continue desejando PARABÉNS, pois assim, estarás DESEJANDO QUE TUDO VÁ BEM com aquela pessoa.

O que aprendemos com isso:

1) Se agora quando ainda dispomos da ortografia antiga, onde havia uma diferenciação gráfica entre os termos, ainda tem gente encontrando “chifre na cabeça de cavalo”, imaginem daqui a 10 anos? Então não vamos dar prosseguimento a esta FALÁCIA!

2) Incrível como somos influenciáveis! Basta alguém chegar com uma ideia e já estamos propagando sem nem saber se é válida ou não. Os “email” coletivos têm facilitado isso. Assim também agimos com coisas mais sérias...

3) Somos muito SUPERFICIAIS em nossas conclusões! Tem muita gente, e muita mesmo, de pouca raiz (Mt 13.6). Eu gastei apenas uns 20 minutos para chegar a essas conclusões. Parti de uma inquietação: “achar que tinha algo errado”. Olhei uma gramática, um dicionário e alguns “sites”. PRONTO!

4) Corolário dos pontos 2 e 3: Não temos IDENTIDADE. É o que expressa o chavão “Maria-vai-com-as-outras”. Muitos são como o “chuchu”. Aquele legume tão conhecido que não tem sabor nenhum, apenas “pega” o gosto do que estiver perto dele.

5) Temos mais facilidade de aceitarmos e nos apegarmos as “verdades” ditas por alguém do que AS VERDADES pronunciadas pela BÍBLIA. O ser humano, sem raiz, precisa de alguém que PERSONIFIQUE a verdade para ele.


“Porventura, o ouvido não submete à prova as palavras, como o paladar prova as comidas?” (Jó 12.11)


FONTES:ROCHA, Ruth. MINIDICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA. Scipione. 12ª Ed. 2007;
TERRA, Ernani. CURSO PRÁTICO DE GRAMÁTICA. Scipione. 2002;
http://www.dicionarioinformal.com.br (em 27/03/2010, às 12:40h)


(reprodução autorizada desde que mantida a integridade do texto, mencionado o autor: Celson Coêlho e o blog: www.ebqrecife.blogspot.com)


Celson Coêlho
Diretor DEBQ-PE
Editor do Blog

quarta-feira, 24 de março de 2010

O REINO DE DEUS EM AÇÃO (Revista DEBQ 2º trimestre 2010)


Mateus: O Evangelho do Reino

A segunda revista da Escola Bíblica Quadrangular para 2010 já está à disposição. O objetivo de se estudar a Bíblia por inteiro está a todo vapor. Nesse segundo trimestre estudaremos o Livro de Mateus.
No desenrolar desta revista, estaremos publicando aqui no BLOG um subsídio semanal (texto/estudo) para auxiliar os professores e aprofundar os temas das lições. Começaremos com uma visão panorâmica do primeiro Evangelho.
Segue abaixo as palavras de apresentação da revista e seu sumário.

“Com esta revista (baseada no Evangelho de Mateus) estamos dando sequência ao novo currículo da Escola Bíblica, visando à compreensão da Bíblia toda, onde a família Quadrangular estudará a Bíblia, livro por livro. Nosso objetivo é que o texto bíblico seja exaustivamente examinado, no contexto da maior escola do mundo.
Mateus, o primeiro livro do Novo Testamento, foi destinado em particular para os cristãos judeus, para apresentá-los às reivindicações de Jesus Cristo como Rei de Israel.
Portanto, este Evangelho registra a genealogia de Jesus a partir de Abraão (pai da fé) e não Adão (o primeiro homem), como fez Lucas. Transcreve cinco grandes blocos de ensinos de Jesus; traz parábolas que explicam o Evangelho do Reino, mostrando como o Reino pode se expandir; registra dez reações e contrarreações de Jesus diante dos homens.
Partindo do princípio de que os ensinos de Jesus são o ponto culminante do Evangelho de Mateus, é que dedicaremos duas lições para o Sermão do Monte (capítulos 5 a 7), e uma lição para cada um dos quatro outros blocos de ensinos de Jesus (capítulos 10, 13, 18 e 24-25).
Entendemos que tanto o Velho Testamento como o Novo Testamento devem ser interpretados a partir da perspectiva de Jesus e seus ensinamentos. Pois, em Jesus, aprendemos a interpretação correta dos escritos da Lei e dos Profetas, porque ele, por ser o Cristo prometido, os cumpriu.
Que a vida e os ensino de Jesus, refletidos nestas treze lições, motive a cada aluno da escola bíblica para a prática de seus ensinamentos e a imitá-lo.”
(extraído na íntegra da pg 6 da revista DEBQ Ano 3/ nº 2)

Pastor Josadak Lima (autor da revista)


SUMÁRIO

Lição 1: A presença ajudadora de Deus;
Lição 2: Prioridades e valores do Reino de Deus;
Lição 3: O estilo de vida do Reino de Deus;
Lição 4: Recursos divinos para necessidades humanas;
Lição 5: O que significa seguir Jesus?;
Lição 6: Reações de Jesus diante dos homens;
Lição 7: Jesus explica o Evangelho do Reino;
Lição 8: Atitudes adequadas aos seguidores de Jesus;
Lição 9: O serviço no Reino e suas recompensas;
Lição 10: O triunfo do Rei e sua denúncia contra a hipocrisia religiosa;
Lição 11: As palavras de Jesus a respeito do futuro e a exortação à vigilância;
Lição 12: Por que Cristo morreu?; e
Lição 13: Um milagre na manhã de domingo.


Mais uma vez parabenizamos o belo trabalho feito em relação às revistas das EBQ´s pelo Pr. Almir de Paula, Secretário Geral de Educação e Cultura, e sua equipe. Também agradecemos ao nobre pastor pelo esforço desprendido para não deixar esta “chama apagar”.
Amigos de ministério!
Pastores, Secretários Estaduais, Diretores Estaduais e Regionais do DEBQ, Professores e Obreiros também cumpramos nossa parte dessa GRANDE OBRA. Daqui a alguns anos, com certeza, colheremos os devidos frutos.

Celson Coêlho
Diretor DEBQ-PE
Editor do Blog

sábado, 20 de março de 2010

59º CONVENÇÃO NACIONAL DA IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR





CONVENÇÃO NACIONAL 2010

Veja aqui as informações gerais sobre a Convenção Nacional 2010.

Tema: Quadrangular, Tu és agraciada - Lc. 1.28

Local: Centro de Eventos de Itajaí - Marejada

Período: 13 a 15 de Abril

Inscrições: Até 26/03 - R$ 60,00 - Depois desta data somente no local, ao valor de R$ 80,00


Informações e Inscrições clique aqui (só para membros do ministério)


TEMA:
QUADRANGULAR, TU ÉS AGRACIADA – Lc. 1.28

Em Lucas 1:28 encontra-se esta expressão maravilhosa dita a Maria diante da escolha do Senhor Jeová, para que nela pelo Espírito Santo fosse gerado o Filho de Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo. Esta frase tem um efeito maravilhoso na vida desta jovem que recebe a graça de ser a mãe de Jesus.
No dicionário a palavra graça significa Favor, benefício, mercê: pedir, conceder uma graça. / Perdão / Teologia Dom sobrenatural, auxílio divino para a salvação: viveu na graça de Deus.
O tema se torna um ponto alto em nossa Igreja que hoje tem seu ministério composto mais da metade por mulheres, onde as obras realizadas pelas mesmas em todo o Brasil se destacam por organização, construções, fidelidade, submissão e compromisso com o Reino. Diante de um quadro tão importante está na hora deste ministério reconhecer e homenagear as mulheres de Deus que ajudam no crescimento de nossa Igreja.

A homenagem se estende a nossa fundadora Aimee Semple McPherson, mulher que recebeu a divina inspiração para fundar a melhor Igreja que existe no mundo, nossa Quadrangular.
Assim como aconteceu com Maria, Aimee foi visitada de uma maneira especial e a ela foi dada a visão espiritual de evangelizar almas por todo o mundo e recebeu a missão de levar o Evangelho de que Jesus Salva, Cura, Batiza no Espírito Santo e de que Ele em breve voltará.
A Igreja do Evangelho Quadrangular é uma Igreja-Mãe, que recebe a todos como filhos. E como mãe tem ao longo destes 58 anos no Brasil suprido com amor, cuidado, alimento espiritual, estrutura e força a todos os seus filhos representados através das igrejas locais, dos líderes e membros desta grande obra.

QUADRANGULAR – TU ÉS AGRACIADA promoverá nesta convenção uma homenagem a nossa amada Quadrangular que é mãe de todos nós, a nossa fundadora e as mulheres que se destacam como pastoras, líderes de departamentos, esposas de pastores, realizadoras de obras, mães, filhas, avós e mulheres em geral que ajudam com sua força a Igreja do Evangelho Quadrangular a ser esta gigante evangelizadora.
Em Cristo,


Rev. Celso Nascimento
Secretário Geral de Comunicação da IEQ

(Fonte: Secretaria Geral de Administração e Finanças da IEQ, http://www.sgaf.org.br/site/)

domingo, 14 de março de 2010

FÉ NA INTERNET


(imagem:www.euqueroisso.files.wordpress.com/2009/09/rede.jpg )

O caderno de informática do Jornal do Comércio (JC), jornal de grande circulação em Pernambuco, estampou em sua capa a reportagem com o título acima que avalia a decisão do Papa Bento XVI em orientar todo o clero “a utilizar a internet como ferramenta de difusão de ritos, dogmas e preceitos da religião milenar.” (JC, 10/03/2010).
Para alguns pode até não expressar grande significado, pois a rede mundial de computares é tão comum em nosso dia-a-dia. Contudo, a internet não era vista com bons olhos pela igreja Católica. O próprio jornal expressa que a instituição tem aversão à inovação. Está antipatia, em solo pernambucano, teve sua expressão no ato de corte dos cabos da internet que conectavam o Seminário (católico) de Olinda.
Na reportagem, assim avalia o professor Gilbraz Aragão, da UNICAP, mestre em Ciência da Religião: “Não tem como escapar, o testemunho se faz conforme o tempo, e a internet é uma das pontas dessa história. O que antes era condenado, agora passar a ser valorizado. Desde o ano passado vemos mudanças na instituição, como os sacerdotes abrindo seus próprios blogs... O ambiente da igreja por centenas de anos foi muito fechado... O grande desafio a vencer é o fato de boa parte dos religiosos ter sido formada em ambientes fechados, não inserida no contexto das novas tecnologias. Depois disso, há ainda o aspecto da linguagem utilizada nas páginas virtuais. Não adianta reproduzir liturgias, o correto é suscitar a curiosidade, com questões interessantes, mostrando como a religião oferece respostas através de seus símbolos.” (JC, 10/03/2010).

A reportagem também salienta que os “evangélicos se convertem a rede”. Referência a utilização do ciberespaço por parte dos evangélicos. Destaque é dado aos BLOGS que “VÊM SE MOSTRANDO FORTES ALIADOS NA DIFUSÃO DESSA NOVA FORMA DE INTERAGIR COM A COMUNIDADE.” (JC, 10/03/2010).

A internet pode (e deve) ser usada pelo professor da Escola Bíblica como uma ferramenta de grande utilidade. A realidade de nossos alunos é conectada a rede. Não podemos fugir disso. Acredito ser inadmissível que um professor ou líder na igreja não tenha nem “email”. Esta realidade também fica difícil para sua inserção no mercado de trabalho.

ORKUT, BLOG, FACEBOOK, TWITTER, MSN, YOUTUB. São várias opções de interação com os alunos. O professor tem a chance de estender seus momentos na classe para o cotidiano do aluno. São fotos de momentos da turma para relembrar. Discussão de temas da aula. Aprofundamento dos assuntos. Discussão não apenas com alunos, mas, também com outros estudantes da Bíblia.

PROFESSORES não percam tempo. O REINO DE DEUS É CHEGADO.
MÃOS A OBRA!!!


ENDEREÇOS QUADRANGULARES VIRTUAIS:

http://www.portalquadrangularbrasil.com.br/
http://www.quadrangularbrasil.com.br/
http://www.mocidadequadrangular.com.br/
http://www.pastormariodeoliveira.blogspot.com/
http://www.quadrangulareducacao.org.br/

Para mais "links" quadrangulares, ver NOSSOS "LINKS" ao lado.

quinta-feira, 11 de março de 2010

ANIVERSÁRIO DA CIDADE DO RECIFE

(imagem: rede interna da Base Área do Recife)

Nesta sexta-feira, dia 12 de março a cidade de Recife, completa 473 anos de fundação. A Capital pernambucana aniversaria com sua irmã, a cidade de Olinda, que completa 475 anos.
A história de Recife está intimamente ligada a de Olinda. Estas histórias estão repletas de lutas e conquistas rumo à independência.
A origem do termo recife, conforme estudiosos, é árabe (ar-raçif). Significa calçada, caminho pavimentado, linha de escolhos, dique, paredão, muralha, cais, molhe. O termo faz referência ao ponto fundamental para desenvolvimento histórico da cidade: o contato com o mar.
Devido as suas pontes e rios em seu centro urbano, Recife é conhecida com a Veneza Brasileira.


UM POUCO DE HISTÓRIA

O domínio português se deu com Duarte Coelho que aportou aqui em 1535. Com poucos dados históricos sobre ele, sabe-se que aos sessenta anos recebeu do rei Dom João III a capitania de Pernambuco. Teve grande importância na organização e administração de Olinda e Recife. Serviu ao interesse explorador de Portugal.
A capital pernambucana passou 24 anos sobre domínio holandês. Seu início se deu com a chegada do conde Maurício de Nassau em 14 de fevereiro de 1630, com 67 navios e sete mil homens. Para os historiados este foi um período de prosperidade e desenvolvimento.
Com a diminuição de seu contingente e a substituição de Nassau em 1644 por um conselho que se demonstrou mais severo com os lusos-brasileiros, a Holanda começou a perder espaço. Várias rebeliões foram instaladas. As batalhas e resistências não ocorreram apenas no Recife, mas também em cidades vizinhas como Vitória (no Monte das Tabocas) e Jaboatão (no Monte dos Guararapes).
Alcançou status de cidade em 1823 e capital em 1827.


DADOS ATUAIS

"Localizado às margens do oceano Atlântico, o município possui uma área de 217,494 km e uma população de 1.561.659 de pessoas. É a sede da área metropolitana que leva seu nome: a Região Metropolitana do Recife, com 3,73 milhões de habitantes. É classificada pelo IBGE como uma metrópole nacional. Em recente estudo do instituto, o Recife aparece como metrópole da quarta maior rede urbana do Brasil em população. O Recife, das capitais estaduais atuais, é a mais antiga do Brasil.
Desempenha um forte papel de centralizador econômico em seu estado e região, com uma área de influência que abrange inclusive outras capitais, como João Pessoa, Maceió, Natal e Aracaju. Sua área metropolitana inclui, além da capital pernambucana, mais 14 cidades do Grande Recife, concentrando 65% do PIB estadual.
Destaca-se por possuir o mais importante pólo médico do Norte/Nordeste; um grande pólo tecnológico, o Porto Digital, que abriga várias empresas multinacionais; uma forte indústria de construção civil: a cidade detém grande número de arranha-céus em comparação a outras capitais do país.
Com um grande potencial turístico e forte vocação para o turismo de negócios, frequentemente é escolhida como sede de diversos eventos, como simpósios, jornadas e congressos. O Aeroporto Internacional do Recife é o maior da região em capacidade anual de passageiros e está entre os mais modernos do país, tendo sido eleito um dos 5 melhores aeroportos do mundo pelas companhias de aviação. Em seu sistema de transporte público, conta com uma frota de 4.600 ônibus, que transportam 1,7 milhão de passageiros por dia e um eficiente sistema de Metrô, onde embarcam 210 mil pessoas diariamente. " (http://pt.wikipedia.org/)


FONTES:

http://www.casadacultura.org/br/pe/recife/Recife_Pernambuco_Brasil_historia_de_uma_cidade.html, acesso em 11/03/10 às 20:00h;
http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_do_Recife, acesso em 11/03/10 às 20:20h;
http://www.mai.org.br/index.php?option=com_wrapper&view=wrapper&Itemid=76 (gráfico sobre as religiões na cidade do Recife)

domingo, 7 de março de 2010

EBQ COMEMORA DIA DA MULHER

ESCOLA BÍBLICA QUADRANGULAR DA IEQ SEDE EM RECIFE COMEMORA DIA INTERNACIONAL DA MULHER.


As mulheres reunidas
Palavra do Diretor
As Classes de Mulheres (Professora Irmã Lizete falando)

Momento de Oração

Os homens orando pelas mulheres


HOMENAGEM FEITA PELA CLASSE DE CRIANÇAS, PATRULHEIROS QUADRANGULARES, AS MULHERES DE NOSSA IGREJA. (vídeo)



CONFIRAM TODAS AS FOTOS EM NOSSO ORKUT, CLIQUE AQUI