domingo, 28 de março de 2010

INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS, subsídio para lições da EBQ


1 – O AUTOR

Apesar de ser um livro anônimo (em seu texto não está declarado o autor), a tradição da igreja cristã têm aceitado e defendido que Mateus o tenha escrito. Mateus, que fora um dos apóstolos de Cristo, é citado em todas as listas dos Doze (Mt 10.2-4; Mc 3.16-19; Lc 6.13-16 e At 1.13). Seu nome significa DOM DE DEUS. Em Mt 10.3 ele é chamado de “o publicano”. Era um cobrador de impostos. “Os coletores eram como uma classe, detestada não somente pelos judeus, mas também por outras nações, tanto por causa de seu emprego como pela sua crueldade, avareza, e engano, usados para realizar sua tarefa.” (Bíblia Online, versão 3.0)


2 – ESTRUTURA E PROPÓSITO

O primeiro evangelho da Bíblia cristã é o mais judaico dos livros do Novo Testamento.
Estruturalmente o livro dispõe de 5 grandes blocos. São 5 principais narrativas. Após a conclusão de cada bloco de narrativas é possível encontrar a frase: “... tendo pronunciado Jesus estas palavras (parábolas, instruções, ensinamentos)...” [Confira Mt 7.28; 11.1; 13.53; 19.1 e 26.1].
Eis uma proposta dessa estruturação concedida por Hale (1983; pg 92):

I) O Reino: sua natureza e características (4.12-7.28)
II) A apresentação e Propagação do Reino (8.1-11.1)
III) A inauguração do Reino (11.2-13.53)
IV) A relação de Jesus para com o Reino (13.54-19.1)
V) A última apresentação formal do Reino a nação judaica (19.2-26.1)

Entre 1.1 e 4.11 temos a apresentação do Messias. Nos capítulos 26, 27 e 28, temos a paixão e ressurreição.
Para alguns estudiosos a intenção do escritor com essa estrutura era comparar Cristo com Moisés, autor dos cinco livros da lei judaica. Cristo pode ser comparado a um novo Moisés, que ensina uma nova lei. Pelo que vemos em Mt 5.17, entendemos que a novidade da lei não é sua revogação (gr. katalisai: anulação, aniquilação), antes, o novo Moisés veio para cumpri-la (gr. plerosai: cumprir de forma absoluta; torna completa, plena).

O evangelho de Mateus foi escrito por um homem de fé, participante do grupo dos doze apóstolos. Os destinatários originais deste livro foram judeus que aderiram ao cristianismo que acabara de brotar. Visando defender a nova fé (elemento apologético) e ganhar os praticantes do judaísmo (elemento evangelístico), o apóstolo Mateus, apresenta uma nova dimensão de vida com Deus: O NOVO REINO. O Reino de Deus tem um Rei que era aguardado por várias gerações de judeus, o Messias esperado. Mateus comprova que Jesus era o Messias desejado conforme expresso no antigo Testamento.
Sendo assim, o propósito do livro é apresentar Jesus como Rei prometido por Deus ao povo de Israel, o grande Messias. O tema do livro é o Reino do Céu (ou de Deus). Podemos dizer que Mateus resumia o ministério do Messias dessa forma: “e percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino, e curando todas as doenças e enfermidades entre o povo.” (Mt 4.23)


3 – TEMAS TRATADOS NO LIVRO


NOVA VIDA EM CRISTO: O conhecido Sermão da Montanha expõe como deve ser a vida do novo Israel, os que aceitaram Jesus como o REI. Nos capítulos 5, 6 e 7 temos as regras de conduta para este novo reinado.

IGREJA: o evangelho de Mateus é o único dos quatro que faz uso do termo IGREJA (Mt 16.18 e 18.17). Em grego temos a palavra “ekklesia” (“ek”: para fora, “kaleo”: chamar), significando os chamados para fora. Em compensação, este evangelho tem o uso minimizado do termo sinagoga, que era a assembléia (ajuntamento) de judeus. Mateus usa o termo apenas duas vezes, enquanto Marcos e Lucas têm em torno de 8 ocorrências cada um. Os participantes do novo REINO são os chamados para fora, a igreja do Senhor, e não os antigos participantes do reino de Israel, que agora se reuniam nas sinagogas.

REINO DOS CÉUS (DE DEUS): o capítulo 13 revela o interesse do autor por este tema. Algumas parábolas são proferidas por Jesus para ilustrar o conceito cristão sobre o assunto. O interesse era corrigir falhas sobre a concepção do reino. São destacados seu valor, natureza e a necessidade de buscar este reino.

AS ÚLTIMAS COISAS (escatologia): Jesus revela predições sobre as últimas coisas através de parábolas (capítulos 24 a 26). Com a vinda do Filho do Homem, todos devem estar preparados (parábolas das virgens e dos talentos).


Vimos algumas considerações introdutórias sobre o primeiro evangelho da Bíblia cristã. Durante três meses a Escola Bíblica Quadrangular em todo Brasil estará estudando temas ligados a esse evangelho. Mateus tem várias lições para o homem moderno , convido você para participar dessas aulas em uma de nossas igrejas e ACOMPANHAR APRODUNDAMENTOS E DEBATES sobre as lições aqui em nosso BLOG.


REFERÊNCIAS:

HALE, Broadus David. INTRODUÇÃO AO ESTUDO NOVO TESTAMENTO. JUERP. 1985.
TASKER. R. V. G. MATEUS: introdução e comentário. Vida Nova. 1980.

NESTA SEMANA teremos o subsídio para a PRIMEIRA LIÇÃO da revista. NÃO PERCAM!



(reprodução autorizada desde que mantida a integridade do texto, mencionado o autor: Celson Coêlho e o blog: www.ebqrecife.blogspot.com)



Celson Coêlho
Diretor do DEBQ-PE
Editor do Blog

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante.
Porém, comentários ANÔNIMOS não serão publicados.
Celson Coêlho