sábado, 27 de março de 2010

COISA DE CRENTE (a nova onda de não poder cantar parabéns)

(imagem:http://mfm-a-roda.blogspot.com/2009/07/socrates-nao-acerta-uma.html)

*Celson Coêlho
Crente é fogo!
Às vezes se apega a cada coisa que não sei não...
Há alguns dias a trás recebi um email que diz que no aniversário de uma pessoa não devemos cantar “PARABÉNS pra você”. Também já vi que tem gente abraçando esta causa. A ideia que transmitem é que PARABÉNS significa PARAR (verbo) os BENS. Será que é isso mesmo?

O idioma português, em relação a outros, é relativamente novo. Às vezes temos palavras criadas a partir de outra língua ou pela união de outras duas palavras conhecidas. Esta segunda possibilidade, pela gramática de nossa língua, é chamada de FORMAÇÃO DE PALAVRAS.

Para Ernani Terra (pg 69-73), a FORMAÇÃO DE PALAVRAS pode ser por: (1) Composição, união de dois radicais diferentes (ex.: passatempo); (2) Derivação por afixos (ex.: INfeliz, lealDADE); (3) Onomatopéia, reprodução aproximada de sons ou ruídos (ex.: zunzum, tique-taque); (4) Abreviação (ex.: FGTS); e (5) Hibridismo, união de palavras oriundas de línguas diferentes (ex.: sociologia, sócio[latim] e logia [grego]).

O termo PARABÉNS se encaixa na situação (1), formação por COMPOSIÇÃO. Este termo é plural de PARABEM, em desuso na língua portuguesa.
PARABÉNS: “Interjeição que expressa o desejo de que tudo vá bem à pessoa felicitada, i.e. ´para o bem´ de alguém.” Congratulações.
(http://www.dicionarioinformal.com.br/definicao.php?palavra=parab%E9ns&id=433, acessado em 27/03/10)

O termo é a união de PARA+BEM. Acredito que não precisa desprender tempo com a palavra BEM. Então vejamos o termo PARA. Esta é uma palavra HOMOFONA (mesmo som). Ao ser pronunciada, pode ser confundida entre o verbo PARAR e a proposição PARA. Antes da Nova Ortografia (com validade a partir de Janeiro de 2010), estes termos poderiam ser diferenciados pelo acento no primeiro “A” do verbo: PÁRA. Neste caso significa FINDAR, CESSAR. A preposição PARA, significa COM O DESTINO, COM A FINALIDADE, EM DIREÇÃO (EX.: eu fiz tudo PARA ser campeão).
Qual dos dois significados o termo é aplicado em PARABÉNS?
Ainda não percebeu?
Vou conceder outra ajuda. Quando o verbo PARAR é aplicado em outras composições, pela ortografia antiga, aparecia o acento gráfico, ex.: PÁRA-choque, PÁRA-brisa, PÁRA-lama. (obs.: pela nova ortografia não se grafa desta forma). Além do mais, tudo indica que teria que aparecer o hífen entre as palavras. Resumindo, se PARABÉNS significasse “parar os bens” deveria ser grafado assim: “PÁRA-BÉNS”.

ENTÃO, continue desejando PARABÉNS, pois assim, estarás DESEJANDO QUE TUDO VÁ BEM com aquela pessoa.

O que aprendemos com isso:

1) Se agora quando ainda dispomos da ortografia antiga, onde havia uma diferenciação gráfica entre os termos, ainda tem gente encontrando “chifre na cabeça de cavalo”, imaginem daqui a 10 anos? Então não vamos dar prosseguimento a esta FALÁCIA!

2) Incrível como somos influenciáveis! Basta alguém chegar com uma ideia e já estamos propagando sem nem saber se é válida ou não. Os “email” coletivos têm facilitado isso. Assim também agimos com coisas mais sérias...

3) Somos muito SUPERFICIAIS em nossas conclusões! Tem muita gente, e muita mesmo, de pouca raiz (Mt 13.6). Eu gastei apenas uns 20 minutos para chegar a essas conclusões. Parti de uma inquietação: “achar que tinha algo errado”. Olhei uma gramática, um dicionário e alguns “sites”. PRONTO!

4) Corolário dos pontos 2 e 3: Não temos IDENTIDADE. É o que expressa o chavão “Maria-vai-com-as-outras”. Muitos são como o “chuchu”. Aquele legume tão conhecido que não tem sabor nenhum, apenas “pega” o gosto do que estiver perto dele.

5) Temos mais facilidade de aceitarmos e nos apegarmos as “verdades” ditas por alguém do que AS VERDADES pronunciadas pela BÍBLIA. O ser humano, sem raiz, precisa de alguém que PERSONIFIQUE a verdade para ele.


“Porventura, o ouvido não submete à prova as palavras, como o paladar prova as comidas?” (Jó 12.11)


FONTES:ROCHA, Ruth. MINIDICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA. Scipione. 12ª Ed. 2007;
TERRA, Ernani. CURSO PRÁTICO DE GRAMÁTICA. Scipione. 2002;
http://www.dicionarioinformal.com.br (em 27/03/2010, às 12:40h)


(reprodução autorizada desde que mantida a integridade do texto, mencionado o autor: Celson Coêlho e o blog: www.ebqrecife.blogspot.com)


Celson Coêlho
Diretor DEBQ-PE
Editor do Blog

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante.
Porém, comentários ANÔNIMOS não serão publicados.
Celson Coêlho