terça-feira, 30 de novembro de 2010

FOTOS DO CONGRESSO ESTADUAL DA ESCOLA BÍBLICA QUADRANGULAR EM PERNAMBUCO, DIAS 12 E 13 DE NOVEMBRO DE 2010

Celson Coêlho, Diretor Estadual do DEBQ - Término do Congresso, sábado à noite


Pr. Sérgio Santos, Supervisor Estadual da IEQ-PE, orando pelo Pr. Josadak Lima

Pr. Josadak Lima, ministrando no sábado pela manhã - Ensino Transformador


Grupo de alunos das EBQs Sede, UR-7 e Refúgio, após apresentação


Irmãos da Mesa de Inscrição

sábado, 6 de novembro de 2010

MARCAS DE UMA EDUCAÇÃO QUADRANGULAR

*Por Celson Coêlho


(texto publicado em 2009)

Aqueles que praticam a docência na Igreja do Evangelho Quadrangular (IEQ) podem desfrutar de características comuns, independente da região ou nível de educação que estejam? Repensando a pergunta: Quais são as marcas de um educador na IEQ? Essa é a pergunta que norteará o quarto e último texto sobre O Evangelho Quadrangular (ao final veja os links das outras 3 postagens).
Vimos um pouco da história e da teologia quadrangular (1º e 2º textos), o que é base para uma igreja ter sua identidade, ter características próprias. Posto esses fundamentos, lembramos que também dispomos de um sistema de educação que podemos chamar de QUADRANGULAR (3º texto).
Sendo assim, defendemos a hipótese que a Educação Quadrangular tem sua singularidade; sua marca (ou melhor, suas marcas).
Para defender essa hipótese encontramos alguns desafios a nossa frente. Primeiro: como traçar, em poucas linhas, características de uma igreja com tão grande diversidade? Presente em mais 150 países e em todos estados brasileiros. Uma instituição que atravessou gerações. Segundo: nós, como agentes dessa educação, temos tais marcas em nossa atividade? E se eu não encontrar essas características em minha docência?
Instigante!
Acredito que algumas características permeiam a educação na IEQ. Elas podem estar em qualquer um dos níveis de educação que vimos no último texto como em qualquer cultura que esteja plantada. Arrisco-me a listar algumas dessas (possíveis) MARCAS:


1ª MARCA: Fundamentação Bíblica

Alguns podem achar que é óbvia essa primeira afirmação. Lembremos que alguns ensinamentos chamados de bíblicos em nossos dias, não têm nada de Bíblia. Ou a ignoram ou a deturpam vergonhosamente. A Educação Quadrangular tem sido marcada por uma fundamentação bíblica e sadia. Vimos essa ênfase no ministério de nossa fundadora, Aimee Semple McPherson. Assim também tem sido nos púlpitos de nossas igrejas.
Base bíblica da educação é continuarmos acreditando no poder transformador da Palavra de Deus.
Lembremos que muitas reuniões espíritas usam a Bíblia, outras religiões também a veneram. Mas onde está a fundamentação de tais práticas?


2ª MARCA: Visão Pentecostal

Não estamos falando em culto na aula!
Alguns confundem aula com culto. Os dois têm metodologias diferentes para alvos diferentes. Por isso ambos são necessários. Uma educação com visão pentecostal não é a utilização de longos momentos de oração com manifestação dos dons carismáticos no horário da aula.
Esta marca se expressa quando o educador, não abrindo mão do seu preparo, tem a confiança na ação do Espírito Santo através das aulas para transformar as vidas de seus alunos. Baseia seu planejamento na Bíblia, mas também na oração. Está em constate intercessão espiritual pela vida de seus alunos.


3ª MARCA: Espírito Missionário

Quando nos referimos a Espírito Missionário, fazemos referência ao desejo de ver e ter pessoas salvas na igreja. Uma ação missionária pode ser desenvolvida através da educação com alvo na consolidação de pessoas que chegam à igreja. Assim, teremos crentes com suas casas construídas na rocha e não na areia.
Nossas aulas devem ser permeadas pelo espírito de conquista que imperou na história de nossa igreja. A conquista de almas para o Reino de Deus.


4ª MARCA: Educação Inclusiva

A IEQ teve seu início com uma visão mais ampla do Reino de Deus e de Sua Obra. Foi a primeira igreja a aceitar mulheres no ministério pastoral. Aimee Semple enfrentou as barreiras de sua época. No Brasil, aproximadamente 40% do ministério pastoral são mulheres (dados de 2001). Em nossos Institutos Teológicos, muitas são professoras. Nossa igreja não tem alcançado apenas os letrados e abastados. Suas portas estão abertas para o negro e o branco, para o índio e o mulato, para o rico e o pobre, para o homem e a mulher, para a criança e para o adulto.
Nossa educação tem esse mesmo sentimento. Braços abertos para todos que têm desejo de “conhecer e prosseguir em conhecer ao Senhor.”


5ª MARCA: Inovação Didática

Lembram desse fato: Aimee subindo em uma cadeira em uma esquina movimentada, próxima ao local do culto. Começou a orar e chamar a atenção de muitos. Ao certificar-se do grande público, os direcionou para dentro do templo.
Isto se deu no início do seu ministério quando não se contentava com as poucas pessoas que participavam dos cultos.
E a fundação de uma das primeiras rádios evangélicas nos Estados Unidos? Também foi sua iniciativa. Chamou-se Call FourSquare Gospel, foi a terceira estação de rádio em Los Angeles.
Lembram das tendas, tanto no início da IEQ mundial como no Brasil? Também foi uma grande inovação para sua época.
Nossa didática também deve estar permeada por esse desejo de inovação. Inovação construtiva, facilitadora e motivadora.

CONCLUSÃO

O que é uma marca?
“Sinal feito em pessoal, animal ou coisa para distingui-los de outra.” A marca serve para revelar nossa identidade. Também equivale a um sinal.
Jesus tinha em si uma forma de ensinar. Sua identidade educacional era tão marcante que seus ouvintes ficavam maravilhados da sua doutrina. Não ensinava igual aos fariseus (Mt 7.28 e 29)
Sua pedagogia atraia as multidões (Lc 21.37 e 38).
Nosso Mestre não se conformou com a situação da educação entre o povo de Deus. Colocou a Palavra de Deus em primeiro lugar. Demonstrou dependência espiritual do alto. Objetivou salvar vidas sempre. Não fazia acepção de pessoas e inovava sempre que necessário.

Educadores, vamos ao trabalho!
OUTROS TEXTOS DA SÉRIE "EVANGELHO QUADRANGULAR"
Evangelho Quadrangular, uma perspectiva histórica (clique AQUI)
Evangelho Quadrangular, uma perspectiva teológica (clique AQUI)


*Celson Coêlho
Diretor Estadual DEBQ-PE
Editor do Blog
(Bacharel em Teologia, pós-graduado em História da Religião, trabalha há 11 anos com EBQ e há 5 com ITQ. Formado pelo ITQ-AM em 2005)

(reprodução autorizada desde que mantida a integridade do texto, mencionado o autor: Celson Coêlho e o blog: www.ebqrecife.blogspot.com)

EVANGELHO QUADRANGULAR, uma perspectiva da educação cristã

Por Celson Coêlho*
(OBS: texto publicado em 2008. Os links foram atualizados)

Lembro-me que alguns anos atrás meu antigo pastor em Manaus falava que nossos professores pregavam quando deveriam dar aula. Essa constatação o preocupava. Era a visão de um homem de Deus com mais de 15 anos de experiência docente, tanto na Escola Bíblica como no ITQ (atual diretor do ITQ-AM). Um corolário de seu pensamento pode ser: Temos bons pregadores, mas não bons professores. Não sei se a observação era válida apenas ao âmbito local da IEQ no Amazonas. Não posso aceitá-la passivamente como conclusiva. Também não devo ignorá-la...
O espaço nesse texto pretende refletir a Educação Cristã na IEQ. Fornecer uma perspectiva do ensino.


I – DEFININDO CONCEITOS

Por que Educação Cristã e não Educação Bíblica? Optamos pelo termo Educação Cristã, pois traz uma compreensão mais abrangente da educação na igreja. A Educação na igreja pode ser Teológica, Ministerial ou Bíblica (referente à educação na igreja local).

Educação Ministerial – Aqui compreendemos a educação ou o departamento da igreja que visa à preparação para o ministério. Boa parte das denominações evangélicas tem seu instituto ou seminário (algumas chamam de escola de líderes ou termo similar). Tem uma metodologia mais voltada para a prática ministerial. Seus professores são pastores.

Educação Teológica – Compreendemos a educação superior confessional. Nem todas as denominações dispõem de curso superior teológico. Alguns cursos são oferecidos por instituições para-eclesiásticas ou até mesmo não confessionais[1]. Entendemos que na Educação Teológica também temos formação ministerial, porém a formação teológica é mais abrangente. A preparação profissional é seu alvo maior. Sua metodologia é mais voltada para a pesquisa (científica). Seus professores devem ter formação superior e pós-graduação.

Educação Bíblica – Neste conceito encontramos, principalmente, a bicentenária e eficaz Escola Bíblica. Enquanto os outros dois níveis de educação o alvo é o cristão adulto[2] , aqui alcançamos todas as faixas etárias. Sua metodologia visa alcançar a prática cristã, fornecendo bases bíblicas para as ações do dia-a-dia. Seus professores são líderes da igreja local.

Essa divisão tem função didática para facilitar o desenrolar do texto. Na verdade, elas podem e devem se relacionar. Assim a Educação Bíblica também é teológica e ministerial (vice-versa).
“A Secretaria Geral de Educação e Cultura [SGEC] é o órgão destinado a desenvolver a ação educativa na Igreja [IEQ]...” Tem como secretário o Pastor Almir de Paula. Nos estados, temos as Secretarias Estaduais de Educação e Cultura (SEEC). [informação atual]

II – EDUCAÇÃO BÍBLICA

Consideramos que a Educação Bíblica é mais abrangente que aulas ou até mesmo que a própria Escola Bíblica. Assim, temos educação bíblica na pregação, numa peça teatral, numa música, etc. Para delimitar nosso texto e visando os educadores que visitam NOSSO BLOG, trataremos exclusivamente de Escola Bíblica.
Na IEQ, a Escola Bíblica desembarcou no Brasil junto com Harold Willian. Desde cedo entendeu-se a importância de crentes alicerçados na Bíblia. A responsável por sua implantação e desenvolvimento inicial foi a missionária Lucille Marie Jonhson. Até 1974 a EBD esteve sob sua orientação. Em 1963 foi criada a coordenação nacional. A partir de 2000 a EBD ficou sob tutela da SGEC.
Nesses 58 anos de historia da Escola Bíblica vemos o alicerce bíblico fornecido aos nossos membros. Compreendemos que a Escola Bíblia é primordial para o crescimento da igreja. A Escola tem capacidade evangelística e discipuladora. O novo convertido tem necessidade de questionar sua nova fé, a classe é o espaço apropriado para isso. O amadurecimento espiritual de crentes também é fornecido através das aulas dominicais. A interação permite o educando trazer inquietações do dia-a-dia e lhe fornece princípios bíblicos. (VEJA: Razões Por que Ainda Acredito na Escola Bíblica, clique AQUI)

III – EDUCAÇÃO MINISTERIAL

Com alvo a formação ministerial, temos na IEQ o Instituto Teológico Quadrangular (ITQ), a Missão Quadrangular Cristo Para as Crianças (MQCC) e o Centro de Treinamento Missionário Quadrangular (CTMQ).
O Instituto teve seu início no Brasil em 1957. Com o decorrer dos anos foi reformulado e adaptado a situação de nossa igreja. Anteriormente chamado Instituto Bíblico Quadrangular, hoje o ITQ dispõe de dois cursos: o Fundamental em teologia (12 disciplinas) e o Médio em teologia (35 disciplinas). (Detalhes clique AQUI e AQUI ).
A MQCC tem com alvo fornecer formação pastoral para educadores no ministério infantil. Foi fundado em 1985 em Curitiba. Seu currículo tem como base o primeiro ano do ITQ, acrescido disciplinas voltadas para o ministério infantil. (Detalhes clique AQUI ou AQUI).
O CTMQ-PR foi fundado em 1998, visa primariamente à formação missionária. Dispõe dos cursos Fundamental em Teologia e Missões Urbanas e Transculturais. É o órgão oficial da IEQ para formação missionária. (Detalhes clique AQUI).
Os cursos desses três departamentos fornecem a condição básica para ingresso no ministério, ou seja, para entrar no ministério Quadrangular precisa ter concluído um desses cursos.
A formação ministerial tem alcançado seu objetivo: fornecer a preparação inicial para os futuros obreiros. Os ITQs estão em todos estados brasileiros, são aproximadamente 250 em todo Brasil. A MQCC não desfruta do mesmo alcance. Seu objetivo é excelente, o ideal é que em cada ITQ funcionasse uma MQCC, ao menos em cada cidade houvesse uma MQCC. Dispomos de um dos melhores centros de formação de missionários, quem dera funcionasse um em cada região geográfica do País e que seus recém formados missionários pudessem atuar nessas regiões.

IV – EDUCAÇÃO TEOLÓGICA

A partir de 1999 os Cursos de Teologia alcançaram o reconhecimento do Ministério de Educação em nosso país. Anteriormente, apesar dos evangélicos disporem de boas faculdades teológicas, não contavam com a aceitação da academia brasileira. O parecer CNE/CES 241/99 trouxe novos ares ao conhecimento teológico tupiniquim. (Ver Conselho Federal de Teologos, clique AQUI)
A IEQ, num trabalho muito louvável da SGEC, também abriu as portas para esse novo momento da teologia brasileira. Em convênio com UNIASSELVI deu-se início a Faculdade Teológica Quadrangular (FATEQ) a partir de agosto 2007. Sua modalidade é semi-supervisionada, com um encontro semanal.
A formação teológica abre algumas portas para atuação do formado: Ensino em escolas ou Faculdades; atuação em ONGs ou instituições para-eclesiásticas; atuar como pesquisador; capelão nas Forças Armadas, hospitais, etc; realização de concursos públicos e ministério pastoral.

ATENÇÃO: Existe na Internet uma faculdade dita como Faculdade Quadrangular. Não é a FATEQ e, tudo indica, não tem vínculo com a SGEC. (Clique AQUI)

PESQUISE AQUI OS CURSOS SUPERIORES AUTORIZADOS E/OU RECONHECIDOS PELO MEC, TANTO TEOLÓGICO COMO OUTROS (CLIQUE AQUI)

V – DESAFIO...

Não pretendo esgotar o assunto com essa postagem. Tentei “abrir portas” para a interação.
Muitos educadores da IEQ, como de outras igrejas também, podem colaborar com essa interação.
O desafio que lanço é que você que visita NOSSO BLOG compartilhe comentários que possam enriquecer o tema.


[1] A educação teológica, como qualquer curso superior, está disponível para qualquer confissão religiosa ou instituição não religiosa. Assim temos instituições católicas, umbandistas (para ver clique AQUI), universidades públicas (Universidade Federal do Piauí, clique AQUI), etc.
[2] Em algumas denominações a Educação Ministerial não é apenas para cristãos adultos, essa formação também é restrita ao sexo masculino.

*Celson Coêlho
Diretor Estadual DEBQ-PE
Editor do Blog
(Bacharel em Teologia, pós-graduado em História da Religião, trabalha há 11 anos com EBQ e há 5 com ITQ. Formado pelo ITQ-AM em 2005)

(reprodução autorizada desde que mantida a integridade do texto, mencionado o autor: Celson Coêlho e o blog: www.ebqrecife.blogspot.com)

CONGRESSO ESTADUAL DE ESCOLA BÍBLICA PERNAMBUCO, informações


Tema:
Prossigo para o Alvo (Fp 3.14)
Este é o tema da SGEC para o ano de 2011

Datas:
12 e 13 de novembro de 2010

Horários:
Na sexta às 19:00h
No sábado: manhã às 08:30h; Tarde às 13:30h; e noite às 19:00h

Palestrante Oficial:
Pr. Josadak Lima

Faz parte da equipe pastoral da 3ª IEQ em Curitiba, Bacharel em Teologia; coordenador do Movimento de Discipulado de Liderança. Mentor do CDV (Centro de Despertamento Vocacional); assessor do MAPI/SEPAL (Ministério de Apoio a Pastores e Igrejas) para a região sul do Brasil. Líder da ATREV (Aliança Internacional de Capacitadores de Pastores). Treina pastores e líderes na área de Grupos Pequenos; Casado com Nilva Lima e pai de três filhos: Ellen, Kamilla e Victor Renan.
Escritor de mais de 30 livros (veja no site da Editora AD Santos, clique AQUI)

Oficinas Pedagógicas:

1 - Para Alunos:
Nessa oficina os alunos serão despertados para o poder transformador da Palavra de Deus. Entenderão que precisamos nos alimentar da Palavra semelhantemente como nosso corpo precisa do alimento físico.

2 - Para Professores de Crianças:
Serão abordados princípios de educação infantil (pedagogia), mostrando-se o valor das crianças seguirem o caminho de Cristo desde a tenra idade.

3 - Para Professores de Adolescentes:
Os professores de adolescentes serão lembrados da grande responsabilidades que têm nas mãos: mostrar o caminho a seguir numa idade de muitas escolhas e poucos referenciais.

4 - Para Professores de Jovens:
Os jovens são a nova geração de líderes, como eles estão? Como estão sendo preparados? Estão prontos para assumirem suas responsabilidades? Será destacado o valor de jovens alicerçados na palavra de Deus.

5 - Para Professores de Adultos:
Você sabe o que é ANDRAGOGIA? Nesta oficina serão explorados princípios da andragogia (educação de adultos). Como ensinar pessoas que já tem sua personalidade e valores firmados?

6 - Dinâmicas de Grupo:
Fuja da monotonia em suas aulas! Entenda a importância de aplicar dinâmicas de grupo em sua classe. Elas darão uma nova motivação aos seus alunos.


Teremos:
Estande com material da Escola Bíblica (livros, revistas DEBQ, DVD sobre a lição, Fascículos sobre a história de Aimee);
Estande com livros do palestrante oficial;
Cantina durante todo congresso.
Celson Coêlho
Dirtetor DEBQ-PE
Editor do Blog

terça-feira, 2 de novembro de 2010

CONGRESSO ESTADUAL ESCOLA BÍBLICA, Igreja do Evangelho Quadrangular - PE


VOCÊ NÃO PODE FICAR DE FORA DESSA!!!

Celson Coêlho
Diretor Estadual do DEBQ-PE
Editor do Blog