sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

PENSANDO EM 2012 #5

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

PENSANDO EM 2012 #4

domingo, 25 de dezembro de 2011

PENSANDO EM 2012 #3

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

PENSANDO EM 2012 #2

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

PENSANDO EM 2012 #1

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

60 ANOS DA QUADRANGULAR NO BRASIL - Homenagem na Câmara dos Deputados


Mesmo com alguns dias de atraso, não poderia deixar de publicar informações sobre a comemoração dos 60 anos da Igreja do Evangelho Quadrangular no Brasil.
Devido a outras atividades no meu trabalho não pude fazer antes.
Publico o Jornal da Câmara dos Deputados com materia sobre a sessão solene e alguns vídeos.
Gostando dessa postagem, não esqueça de divulgar nosso Blog no Facebook, clicando em "curtir" ao final da postagem ou no canto superior direito do Blog.
Abraços!

Celson Coêlho
Editor do Blog


Vídeo da Sessão Solene na Câmara dos Deputados em homenagem aos 60 anos da IEQ no Brasil:






Entrevista do Pr. Mário de Oliveira, presidente da IEQ, sobre a homenagem:






Soraya Moraes cantando na Câmara dos Deputados:



terça-feira, 25 de outubro de 2011

REVISTA DEBQ PARA CRIANÇAS (0 a 2 anos)


"O projeto de Deus foi criar homem e mulher e, desta união, Deus iria conceder o privilégio dos Filhos, que são a herança do Senhor.

A responsabilidade desta família é crescerem juntos na presença do Senhor, alicerçados nos princípios bíblicos que devem nortear as suas vidas. Falar sobre crianças de zero a três anos é muito complexo, as informações que temos são as tratadas por especialista e pais, mas que talvez não expressem a realidade.

Esta Revista tem este nome porque Família foi o projeto que nosso Deus criou para moldar o caráter da Criança, do Pai, da Mãe e dos Irmãos; no processo de crescimento, a família é o lugar de amor, cuidado, proteção, disciplina e envio!

Família é instituição de Deus. Vamos acreditar e fortalecer o seu valor.
Trazer para o Centro da Família a presença do Senhor Jesus e, com o Auxílio do Espírito Santo, vamos preservar a Família, é como na Arca de Noé, preservar a vida. Sejam bem-vindos à Família, boa leitura, bom trabalho, filhos."

(Extraído na íntegra de http://www.sgec.org.br/)


Leia o comentário que fiz abaixo sobre a outra revista de crianças. (clique AQUI)
Boas aulas!

Celson Coêlho
Editor do blog

REVISTA DEBQ PARA CRIANÇAS (5 e 6 anos)



"Entendemos que a infância é o melhor tempo para semear a Palavra. Estudos comprovam que os primeiros cinco anos de vida do ser humano são fundamentais e determinantes para ao alicerce da personalidade, sendo assim, torna-se necessário fornecer-lhes uma base sólida. Dentro desta perspectiva pretendemos fornecer às crianças de 5 e 6 anos meios de progredir no conhecimento de Cristo formando uma base para a construção de sua identidade cristã. Qual é a sua visão sobre o trabalho com crianças na igreja?

Em 2 Reis 6:8-23 nos traz o relato de uma guerra em que o rei da Assíria tramava contra Israel.
Eliseu, um homem que tinha sua visão ampliada não temeu, pois sabia que Deus estava com eles, no entanto, o moço do profeta ficou aflito com a chegada do exército inimigo. A oração de Eliseu foi só uma: "Senhor, abra os olhos dele para que veja" (NVI ) e imediatamente o moço do profeta passou a ter a visão de Deus sobre a situação. O mesmo ocorre no trabalho com crianças. Em muitas situações as dificuldades são tão grandes que a visão fica limitada: falta material, professor, espaço, dinheiro, compromisso, em fim, falta muita coisa, mas o propósito de Deus é que se deixe de olhar para o tamanho do problema.

A visão de Deus do trabalho com crianças é que é um MINISTÉRIO e que exige DEDICAÇÃO (Rm 12:7; Ef 4:11; Zc 11:).

É necessário saber que trabalhar com criança é um chamado, é olhar com os olhos de Deus. É priorizar o Reino de Deus e ser um semeador apaixonado. É apascentar os cordeiros de Cristo e se preocupar com seu alimento, ser pastor _ Jo 21:15.
É ter consciência de que seu trabalho vai além do conhecimento de normas, técnicas e métodos e que precisa ser baseado no amor, visão e unção, sem a qual não há trabalho eficaz.
É o ensino comprometido com toda a vida da criança visando o SER (caráter), SABER (conhecimento) e FAZER (habilidades).

Em fim, ter a visão de Deus sobre o trabalho com crianças é saber que foi escolhido por Deus para ser Seu representante perante esta geração e que Ele deseja operar mudanças no mundo e quer te usar para atingir este objetivo.

CURRÍCULO DO TRIMESTRE
Neste trimestre abordaremos o segundo ponto da mensagem da salvação: A NECESSIDADE (PECADO) – cor suja (escuro, preto), apresentando a definição de pecado, mostrando que somos nascidos no pecado e que o pecado merece castigo – Este conceito será abordado dentro do tema trimestral: ACERTANDO O ALVO .

AS CRIANÇAS de 5 e 6 ANOS A educação sofre influência de muitos educadores e pensadores, mas quem de forma muito singular contribuiu para o desenvolvimento educacional foi Jean Piaget, que desenvolveu a Teoria Cognitiva, que diz que o indivíduo passa por diferentes estágios ao longo da vida e que toda informação recebida sofre influência das experiências vividas e do meio. Segundo ele, as crianças de 5 e 6 anos se encontram no Estágio Préoperacional – fase em que a criança ainda não realiza."

(Extraído na íntegra de http://www.sgec.org.br/)


Comento:
Deixei em destaque (azul) uma parte do texto que acredito ser de muita importância. As dificuldades que se encontra em uma igreja local também são realidades da própria Secretaria Geral de Educação e Cultura (SGEC), porém em proporções bem maiores. Contudo, a SGEC (Pr. Almir e Equipe), tem atuado de forma brilhante e continua. Esta continuidade está fazendo a diferença.
Que Deus continue abençoando o ministério de todos vocês na SGEC.
Parabéns pelo trabalho!!!

Celson Coêlho
Editor do Blog

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

E DEUS FEZ O HOMEM, Evangelho de João - Revista DEBQ 4T2011




"Com esta revista (baseada no Livro de João), estamos dando sequência ao novo currículo da Escola Bíblica, visando à compreensão da Bíblia toda, onde a família Quadrangular estudará a Bíblia, livro por livro, capítulo por capítulo. Nosso Objetivo em cada revista é que o texto bíblico seja exaustivamente examinado no contexto da maior escola do mundo: a Escola Bíblica.

O evangelho de João apresenta quatro ênfases: 1) Ensino sobre Jesus (cristologia), 2) Ensino sobre a salvação do homem (soteriologia), 3) Ensino sobre a igreja (eclesiologia) e 4) Ensino sobre as últimas coisas (escatologia). Esses fundamentos são apresentados no livro de João de forma conectadas e ilustrativas, com as experiências vividas por Jesus e os seus apóstolos, a favor das pessoas necessitadas.

O meu desejo é que as aulas sejam dinâmicas, interessantes, participativas, orientadoras e estejam focadas na pessoa de Jesus. Receba este material com muito carinho, pois foi preparado pensando em você que ama a Jesus e deseja conhecê-lo cada vez mais.


Lição 1
JESUS SE FEZ HOMEM E HABITOU ENTRE NÓS

Lição 2
JESUS NA FESTA REALIZA UM MILAGRE TRANSFORMADOR

Lição 3
JESUS FAZ UMA LIMPEZA NA CASA DE DEUS

Lição 4
E POSSÍVEL PARA O SER HUMANO VOLTAR AO VENTRE DA SUA MÃE?

Lição 5
JESUS ABENÇOA UMA MULHER COM VIDA DUVIDOSA

Lição 6
JESUS RESOLVE SE POSICIONAR COM RELAÇÃO AOS PERSEGUIDORES

Lição 7
UMA MULHER DESESPERADA

Lição 8
UMA CEGUEIRA PARA GLÓRIA DE DEUS

Lição 9
O BOM PASTOR CONHECE SUAS OVELHAS

Lição 10
A MORTE E RESSURREIÇÃO DE UM GRANDE AMIGO

Lição 11
QUEM QUER SER O PRIMEIRO

Lição 12
OS RAMOS QUE NÃO PRODUZEM FRUTOS SÃO CORTADOS

Lição 13
SÓ ACREDITO VENDO!"


Que Deus abençõe as EBQ´s através dessas lições!

Celson Coêlho
Editor do Blog

MINISTÉRIO E CARREIRA: descobrindo o próposito da vida - Revista DEBQ Adolescentes 4T2011




"Querido professor, A palavra de Deus nos diz em I Coríntios 15.58 que nosso trabalho, no Senhor, nunca é em vão. Espero que este livro possa conduzi-lo nesta maravilhosa jornada do conhecimento lhe proporcionando sabedoria, graça e instrução para a ministração das aulas propostas.

Tenho certeza de que o Senhor é consigo e lhe capacitará em todo o tempo.

“O Senhor te abençoe e te guarde. O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti. O Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.” Números 6:24-26

Cada lição foi preparada visando um tempo de aula de cerca de 40 minutos, observando a seguinte estrutura:

DE OLHO NA PALAVRA: texto bíblico base da aula
ALVOS: três tópicos desenvolvidos mediante o tema proposto da aula
PONTO DE PARTIDA: introdução

*Professor, desenvolva o tópico sugerindo que cada aluno leia um dos versículos propostos.

PONTO DE CHEGADA: conclusão
RODA DE CONVERSA: dinâmica
REFLETINDO: três perguntas a serem discutidas entre os alunos com o objetivo de conhecer o ponto de vista deles a res- peito do tema bem como proporcionar um retorno a respeito da absorção do conteúdo ministrado em aula.

Deus lhe abençoe
Pra Elaine

1. UM CAMINHO, MUITOS OBSTÁCULOS
• As aflições que nos cercam
• Pedras no meio do caminho
• A longa viagem


2. DAVI: CORPO NO PASTO, CORAÇÃO NO TRONO
• Ansiedade
• O que Deus quer de mim?
• Do pasto ao trono

3. O GPS CELESTIAL
• Tudo me é lícito, mas...
• Seguir, parar ou retornar?
• A direção certa


4. PRESSÃO
• Ai, ai Pedro!
• Suportando a pressão
• Pressão de Grupo


5. NÃO DESPREZE SUA MOCIDADE
• Cresci, e agora?
• Estudo, trabalho ou ministério?
• Força!


6. MEUS PLANOS VERSUS OS PLANOS DE DEUS
• Sonhar
• Oração = orar+ação
• Planejar e agir!

7. TEMPO PARA TODAS AS COISAS
• Tempo Chronos
• Tempo Kairós
• Não perca tempo!


8. O CARPINTEIRO JESUS
• O menino Jesus
• O carpinteiro Jesus
• O salvador da humanidade Jesus

9. O FUTURO A DEUS PERTENCE?
• Presente
• Passado
• Futuro

10. MINISTÉRIO
• Dons espirituais
• Entendendo os dons
• Encolhendo para encaixar

11. CARREIRA
• Preparar
• Atacar
• Fogo!


12. ERREI, E AGORA?

• De Saulo a Paulo
• Aprenda a usar o manual
• Levante e sacuda a poeira!

13. O PROPÓSITO DE DEUS PARA MINHA VIDA
• Amar
• Ide!
• Descobrindo o propósito de Deus para minha vida"

(Extraído de http://www.quadrangulareducacao.org.br/)



Que Deus abençõe as EBQ´s através dessas lições!


Celson Coêlho
Editor do Blog

terça-feira, 20 de setembro de 2011

CONGRESSO FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS - em Recife

"folder do congresso"

A Livraria Luz e Vida, em parceria com a editora Mundo Cristão, estarão realizando em Recife o Congresso Fundamentos Teológicos.

A inscrição pode ser feita na própria livraria, mediante a aquisição dos livros temas.

O Congresso será em 4 etapas, um sábado por mês, nos meses de agosto, setembro, outubro e novembro. Num total de 8 palestras, duas a cada sábado.

O local dos dois primeiros encontros (agosto e setembro) será a Igreja Presbiteriana da Boa Vista. Sempre das 08:30h às 12:00h.

Boa oportunidade!

Segue as informações do “folder” (a disposição na livraria Luz e Vida)

“O acentuado aumento no número de evangélicos entre a população brasileira e a vasta gama de denominações cristãs que surgem todos os dias tornam o estudo teológico ainda mais necessário e relevante.

Em 2011, Recife vai abrigar um evento único, voltado à discussão da teologia e sua aplicação na sociedade atual: o Congresso Fundamentos Teológicos. Fruto de uma pareceria entre a editora Mundo Cristão e a Universidade presbiteriana Mackenzie, neste evento mensalmente grandes nomes da Teologia Brasileira apresentarão temas diferentes e relevantes.

A série Fundamentos da Teologia trata dos principais tópicos teológicos de forma clara, direta e abrangente. São livros para seminaristas, teólogos, pastores, líderes cristãos e todo aquele que deseja conhecer mais sobre a fé cristã.”


Dia 24/09/2011 

Teologia Histórica – Dr. Alderi Matos
Teologia da Igreja – Dr. Carlos Caldas


Dia 20/08/2011 (Já ocorrido)
Teologia Bíblica – Pr. Valtair Miranda (@valtairmiranda)
Teologia Reformada – Rev. Hermisten Maia (@hermisten)

Maiores informações:
Livraria Luz e Vida – Praça Joaquim Nabuco
167/173 – Recife-PE – (81) 3224-4767

domingo, 4 de setembro de 2011

TOP FIVE - Os artigos mais lidos em agosto


Usando os dados estatísticos fornecidos pelo Blogger, divulgo aos amigos leitores do Blog os textos mais acessados no mês de agosto deste ano (2011).

São os 5 mais lidos. Algumas particularidades dessas postagens: Em 2º lugar encontra-se o artigo "A Reforma Protestante, por quê e como aconteceu?", é o texto mais lido do Blog com mais de 1200 visualizações; Em 3º, o texto "Festas Juninas". Seu grande acesso se deve a proximidade com as festas juninas. Foi o primeiro texto do Blog a ultrapassar a barreira das 1000 visualizações; Em 4º, temos "Evangélico Não Praticante, reportagem da revista Isto É", texto ao qual compartilho reflexões a partir da reportagem da referida revista. Esta postagem, em termos percentuais, foi a mais acessada. Publicada apenas no dia 22, teve 11 dias de acesso. As outras, estavam disponíveis desde o início do mês.

Agradeço aos leitores, que Deus continue nos abençoando nesta empreitada.
Seguem os artigos. Para acessá-los, basta clicar no desejado.
Celson Coêlho
Editor do Blog

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

MINHAS LEITURAS



Amigos leitores do blog, a partir deste mês, disponibilizo na lateral do blog, a página MINHAS LEITURAS. Levando em consideração as leituras a partir de agosto, ao concluir a leitura de um livro, compartilharei informações básicas sobre o texto, como também minhas impressões.

Sigo o exemplo do Pr. Isaltino Gomes, guardadas as devidas proporções (de capacidade de leitura e de visão crítica).

A intenção é compartilhar ideias sobre os textos, possibilitar sugestões de leituras e permitir um pouco de conhecimento das minhas fontes de leituras.

No Twitter também compartilho citações e ideias sobre essas leituras. (@ebqrecife)

Atualizarei ao final de cada livro. À leitura...

Celson Coêlho

sábado, 27 de agosto de 2011

ENSINAR É CONVICÇÃO!




Por Celson Coêlho

1. Ensinar é convicção que a Bíblia é Palavra de Deus, infalível e padrão único de fé e conduta cristã; Não adianta ensinar a Bíblia sem crer em sua autoria divina;

2. Ensinar é convicção que seu ensino faz parte dos ministérios concedidos a Igreja; Não adianta realizar uma tarefa apenas para ocupar uma posição;

3. Ensinar é convicção que é Deus quem concede o ministério (dom); Não adianta preparação e esforço se não houver concessão divina do dom;

4. Ensinar é convicção que seu ensino, juntamente com os outros ministérios, é proveitoso para edificação do Corpo de Cristo; Não adianta brilhantismo sem edificação, estamos falando em vidas eternamente com ou sem Deus;

5. Ensinar é convicção no chamado real e pessoal; Não adianta formação, experiência ou indicação se não houver chamado. Este leva àqueles, aqueles não garantem este;

6. Ensinar é convicção que Deus, por de sua abundante graça, transforma a vida do mais viu pecador; Não adianta pensar que o ser humano não tem jeito. Nasceu assim, vai morrer assim; e

7. Ensinar é convicção que, na “escola de Deus”*, somos sempre alunos; Não adianta subir num pedestal de arrogância e pensar que já sabe muito, esta atitude é prejudicial à aprendizagem.

Convicções como essas são essenciais ao ensino, os outros aparatos são secundários!

Nota:
* Expressão emprestada de Calvino, para ele a Igreja é a escola de Deus.

Celson Coêlho
Editor do Blog

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

EVANGÉLICO NÃO PRATICANTE - Reportagem da Revista Isto É


Imagem extraída do site da revista, link abaixo

A revista Isto É dessa semana (20 a 29/08/11) traz a seguinte reportagem de capa: “O Novo Retrato da Fé no Brasil”. Num texto sobre o sincretismo religioso atual em nosso país, seu subtítulo, de cara, revela verdades que afetam diretamente a igreja: “Pesquisas indicam o aumento da migração religiosa entre os brasileiros, o surgimento dos evangélicos não praticantes e o crescimento dos adeptos ao islã.”

Compartilho trechos dessa reportagem, que estarão na cor azul. Os sublinhados são destaque meus, não constam na reportagem original. Após, trago considerações que são pequenas reflexões sobre o texto. Ao final, deixo o link da reportagem completa para que todos possam conferi-la. Vale a pena!

Acaba de nascer no País uma nova categoria religiosa, a dos evangélicos não praticantes. São os fiéis que creem, mas não pertencem a nenhuma denominação... nascem em berço evangélico – e, como muitos católicos, não praticam sua fé... evangélicos de origem que não mantêm vínculos com a crença...

Isso só é possível porque o universo espiritual está tomado por gente que constrói a sua fé sem seguir a cartilha de uma denominação. Se outrora o padre ou o pastor produziam sentido à vida das pessoas de muitas comunidades, atualmente celebridades, empresários e esportistas, só para citar três exemplos, dividem esse espaço com essas lideranças. Assim, muitas vezes, os fiéis interpretam a sua trajetória e o mundo que os cerca de uma maneira pessoal, sem se valer da orientação religiosa. Esse fenômeno, conhecido como secularização, revelou o enfraquecimento da transmissão das tradições, implicou a proliferação de igrejas e fez nascer a migração religiosa... desvinculados da sua instituição...
[...]

Em sua dissertação de mestrado sobre as motivações de gênero para o trânsito de pentecostais para igrejas metodistas, defendida na Umesp, a psicóloga Patrícia Cristina da Silva Souza Alves verificou, depois de entrevistar 193 protestantes históricos, que 16,5% eram oriundos de igrejas pentecostais. Essa proporção era de 0,6% (27 vezes menor) em 1998, como consta no artigo “Trânsito religioso no Brasil”, produzido pelos pesquisadores Paula Montero e Ronaldo de Almeida, do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap). Para Patrícia, o momento econômico do Brasil, que registra baixos índices de desemprego e ascensão socioeconômica da população, reduz a necessidade da bênção material, um dos principais chamarizes de uma parcela do pentecostalismo. “Por outro lado, desperta o olhar para valores inerentes ao cristianismo, como a ética e a moral cristã, bastante difundidas entre os protestantes históricos”, afirma.

Em busca desses valores, o serralheiro paraibano Marcos Aurélio Barbosa, 37 anos, passou a frequentar a Igreja Metodista há um ano e meio. Segundo ele, nela o culto é ofertado a Deus e não aos fiéis, como acontecia na pentecostal Assembleia de Deus, a instituição da qual Barbosa foi devoto por 16 anos, sendo sete como presbítero. O serralheiro cumpria à risca os rígidos usos e costumes impostos pela denominação. “Eu não vestia bermuda nem dormia sem camisa, não tinha tevê em casa, não bebia vinho, não ia ao cinema nem à praia porque era pecado”, conta. Com o tempo, o paraibano passou a questionar essas proibições e acabou migrando. “Na Metodista encontrei um Deus que perdoa, não um justiceiro.”

... Preterir as denominações cristãs por religiões de origem africana é outro tipo de migração até então pouco comum...

A teóloga Lídia sugere que os sistemas simbólicos das religiões evangélica e afro-brasileira têm favorecido a circulação de fiéis da primeira para a segunda...
[...]

Antes de se fixar na Bola de Neve, Higuti experimentou outras quatro denominações evangélicas. Mobilidades intraevangélicas como as dele ocorrem com aproximadamente 40% dos adeptos de igrejas pentecostais e neopentecostais, segundo a especialista em sociologia da religião Sílvia, da UFRRJ. Os neopentecostais, porém, possuem uma particularidade. Seus fiéis trocam de igreja como quem descarta uma roupa velha: porque ela não serve mais. São a homogeneização da oferta religiosa e a maior visibilidade de algumas denominações que produzem esse efeito [...] E cada vez mais as pessoas estabelecem uma relação utilitária com a religião. De acordo com a pesquisadora Sandra, se não há o retorno (material, na maioria das vezes), o fiel procura outra prestadora de serviço religioso. [...] “Entre os neopentecostais não se busca mais um líder religioso, mas um mago que resolva tudo num estalar de dedos”, diz Sandra. “Essa magia faz sucesso, mas tem vida curta, uma vez que o fiel se afasta, caso não encontre logo o que quer.”
[...]

É cada vez mais comum, no País, fiéis rezando com a cartilha da autonomia religiosa. Esse chega para lá na fé institucionalizada tem conferido características mutantes na relação do brasileiro com o sagrado, defende a professora Sandra, de ciências sociais e religião da Umesp. “Deus é constituído de multiplicidade simbólica, é híbrido, pouco ortodoxo, redesenhado a lápis, cujos contornos podem ser apagados e refeitos de acordo com a novidade da próxima experiência.” Agora é o fiel quem quer empunhar a escrita de sua própria fé.


CONSIDERAÇÕES:
O que eu ouvia nas salas da Faculdade de Teologia anos atrás, agora é constatação do IBGE e da mídia: “evangélicos não praticantes”.

Lembremos que o termo “evangélico” tem sido usado historicamente, principalmente a partir da Reforma Protestante, para desginar os seguidores de Jesus. Seu uso expressava o desejo de retorno ao Evangelho, caminho contrário da igreja Romana.[1] Então, inicialmente, evangélicos eram os que defendiam o Evangelho (A Bíblia) como autoridade para a igreja.

Na Bíblia os termos para os seguidores de Cristo são, normalmente, discípulos e cristãos. Essas palavras aparecem juntas em Atos 11.26: “[...] Em Antioquia, foram os discípulos [gr. mathetes], pela primeira vez, chamados cristãos [christianos].” Cristão tem menor ocorrência, apenas 3 no Novo Testamento (At 11.26; 26.28 e 1Pe 4.16). Denota aquele partidário (defensor) da causa de Cristo [christos]. Semelhante ao termo herodiano [herodiano], partidário de Herodes (Mc 3.6). De forma literal cristão significa pequeno Cristo.

Vale salientar que os seguidores de Cristo não se auto intitulavam cristãos. Eles foram “chamados” [chrematidzo], ou seja, reconheceram que eles “pareciam com alguém”[2] ou faziam negócio no nome de alguém.[3]

O outro termo, discípulo, tem 260 registros no Novo Testamento. Seu significado é aprendiz (aluno). Este termo “emprega-se para total devoção a alguém, no discipulado.”[4] O alvo do discípulo ao ser bem instruído, era ser igual ao seu mestre (Lc 6.40).

No uso dos termos evangélico (histórico), cristão e discipulo (bíblicos), encontramos a ênfase da identificação da pessoa com aquilo ou aquele que ela segue. Na palavra evangélico, encontramos ligação com o Evangelho, aquele que vive segundo o Evangelho de Cristo. Os termos bíblicos expressam similaridade com Cristo (o Mestre).

Imaginemos se a expressão “evangélicos não praticantes” fosse substituída por “cristãos não praticantes”? Seria como dizer: “ser igual a Cristo sem ser igual”. Pensemos em “discípulos não praticantes”? Expressaria: “seguir o Mestre sem fazer o que ele ensinou”.

Aquele que conhece a Palavra do Mestre e não pratica é insensato, seu fim será de grande ruína (Mt 7.26 e 27).

NOTAS
[1] Para melhor compreensão do termo "evangélico" leia Evangelicalismo in ELWELL, Walter. Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã. Vida Nova; e Evangelicalismo in CHAMPLIN, Russel e BENTES, João. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. Candeia. Na internet leia o texto equilibrado de Michael Horton http://www.monergismo.com/textos/cinco_solas/evangelico_horton.htm
[2] Cristão in Dicionário Internacional de Teologia do novo Testamento.
[3] Bíblia de Estudo Palavras Chaves; Confira o uso do termo em Rm 7.3: “...será considerada [chrematidzo] adúltera se, vivendo ainda o marido, unir-se com outro homem...”
[4] Discípulo in Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento.


Site da revista com a reportagem completa:
http://www.istoe.com.br/reportagens/152980_O+NOVO+RETRATO+DA+FE+NO+BRASIL

Celson Coêlho
Editor do Blog

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

TAL PAI, TAL FILHO...

Com a proximidade do Dia dos Pais, tenhamos cuidado com o alerta:
Tem muito filho seguindo o exemplo do pai...



quarta-feira, 3 de agosto de 2011

DUAS DESPEDIDAS E UMA REFLEXÃO


Os últimos dias de julho registraram duas despedidas de ingleses conhecidos. Refiro-me aos falecimentos de Amy Winehouse e de John R. W. Stott.

No dia 23 de julho, com toda badalação “prazerosa” da mídia, faleceu Amy Winehouse, aos 27 anos. Muito se falou sobre ela: um mito; ícone dos jovens; estrela pop... muitos adjetivos necessários para evidenciar a notícia.

Em sua vida hedonista, Amy se entregou a bebida e as drogas. Em várias apresentações revelava total descontrole e desrespeito ao público.

Morte precoce, talvez vítima de seu estilo de vida...

Quatro dias após a morte de Amy, em 27 de julho, outro inglês, não tão famoso, morre aos 90 anos, por causas naturais. Não se falou na mídia, mas John Stott foi pastor, escritor e ilustre teólogo. Assim ele é descrito: “um dos gigantes da fé cristã contemporânea, que ajudou a construir a Igreja Evangélica ao longo do século 20.” (Cristianismo Hoje)

Stott escreveu cerca de 40 livros (tenho 3 em minha biblioteca). “Cristianismo Básico”, tido como um dos mais importantes, vendeu 2 milhões de cópias e foi traduzido para 60 línguas. Foi capelão da coroa britânica por 30 anos. “Protagonista do movimento conhecido como Evangelho integral, ele organizou, na companhia do evangelista Billy Graham e outras lideranças, o Congresso Internacional de Evangelização, em Lausanne (Suíça), em 1974. O evento entrou para a história da Igreja Cristã por lançar as bases de uma abordagem da fé inteiramente contextualizada à sociedade, sem, contudo, abrir mão dos princípios basilares do Evangelho, consubstanciada no Pacto de Lausanne.” (Cristianismo Hoje) [grifo meu]

Apesar de certo prestígio e reconhecimento no meio evangélico, Stott, que decidiu não casar para dedicar-se ao Evangelho, vivia uma vida simples. Admirador de pássaros, aproveitava seus momentos de lazer nos bosques do Reino Unido. Sempre com binóculos, máquina fotográfica e caderno de anotações a mãos.

Estilos de vidas contrastantes. Finais opostos.

Cada um deles deixa um legado.

Qual será mais lembrado pela sociedade? Qual tem mais influencia sobre nossas vidas? Na verdade acredito que muitos cristãos nunca ouviram falar de John Stott. Enquanto Amy Winehouse...

 "O conhecimento é indispensável para a vida e para o serviço cristãos. Se não usamos a mente que Deus nos deu, nós nos condenamos à superficialidade espiritual e nos privamos de muitas das riquezas da graça de Deus". (John Stott)

Celson Coêlho
Editor do Blog

Mais textos:
Amy Winehouse e Lula (Por Augustus Nicodemos Lopes, pastor presbiteriano)
Faleceu um entre os santos: John R. W. Stott (por Mauro Meister, pastor presbiteriano)
Morreu Amy Winehouse (por Isaltino Gomes, pastor batista)
Livro como um pássaro (sobre Stott, por Esdras Bentho, pastor assembleiano)
Amy Winehouse (no Wikipedia)

sábado, 9 de julho de 2011

CONSTRUÇÃO E DESTRUIÇÃO, aprendendo para ter cuidado...



Destruir é mais fácil que construir! O senso comum já nos diz isso...

E parece que realmente é.

Não quero ser pessimista, mas é desolador ver “escorrer” pelo ralo aquilo que foi tão difícil para construir. Simples assim como água escorrendo...

São dois verbos opostos. Construir: dar estrutura, edificar, fabricar; Destruir: arruinar, demolir, derribar (qualquer construção).

Quando penso em construção na Bíblia me vem a memória o ensino de Jesus sobre a casa construída na rocha e a construída na areia (Lc 6.46-49). Sobre o que fez uma boa construção, sobre a rocha, é dito que “cavou, abriu profunda vala e lançou alicerce sobre a rocha” Você consegue entender quanta ação tem nesse pequeno texto. Quanto trabalho. Cavou! Abriu profunda vala! Lançou alicerce! É o detalhista Lucas nos lembrando que uma boa construção dá trabalho.

Não existe “passe de mágica”. Não dispomos de uma “varinha de condão”. Requer tempo, oração, lágrimas, trabalho, respeito, valorização, investimento e estar no centro da vontade divina.

Mateus, sobre a mesma ocorrência, enfatizou a “rocha” (Mt 7.24-27). Lucas, o médico, além da “rocha”, salientou o muito trabalho daquele que construiu.

Paulo, hábil construtor no Reino de Deus, fala da qualidade do que construímos baseado no material que usamos: “ouro, pedras preciosas, prata, madeira, feno, palha” (1Co 3.10). Os três primeiros, materiais duradouros, os outros, perecíveis. Quais são mais difíceis de encontrar, os duradouros ou os perecíveis? Quais exigem mais trabalho?

Construir é difícil! Agora, destruir...

VEJA COMO É FÁCIL destruir: “...uma pequena fagulha põe em brasas tão grande selva!” (Tg 3.5) Na Bíblia, um grande mau exemplo é a destruição causada pela língua. Perceba suas características destrutivas: ela é como fogo (poder de destruir); mundo de iniquidade; contamina o corpo inteiro; põe em chamas a existência humana; incapaz de ser domada; mal incontido e carregado de veneno mortífero (Tg 3.6 e 8).

Precisamos de um claro entendimento sobre este alerta. Muitos perdem o verdadeiro valor deste ensino bíblico. Até dizem: “as palavras têm poder!” Entendem que existe um poder mágico que envolve o falar: “desencadeia algo no mundo espiritual.” O Poder revelado aqui é o poder de influência na vida das pessoas. Principalmente quando quem fala é investido de autoridade sobre a vida da outra pessoa. Por exemplo: o pai sobre o filho; o líder sobre o liderado; o pastor sobre a ovelha; o professor sobre o aluno. A ideia de “poder mágico” nas palavras é extrabíblico.

DEIXEMOS DE LADO o que aprendemos de ouvir falar, vejamos o que diz o texto bíblico. No início do capítulo 3, verso 1, Tiago chama atenção aos mestres e aqueles que desejam ensinar. É para essa classe de pessoas que ele está falando neste capítulo. Ele está alertando as pessoas que tem influência sobre as outras através do falar. O nosso falar influencia as pessoas a agirem. A ideia é corroborada pelos versos 2 e 3 quando diz que controlar a boca (o falar) controla o corpo (o agir). A analogia do grande navio, controlado pelo pequeno leme, que vai onde timoneiro deseja, reforça o principio aqui descrito (v4). Essas analogias, somadas a do fogo, são descritas em tão poucos versos por que o tema é muito importante. Pessoas que tem influência, ao falarem de forma inconseqüente, podem amaldiçoar os seus ouvintes (v9).

Alguns ainda pensam que o principal ensino aqui é sobre falar da vida alheia. Também não é isso! O ensino é: como líderes temos o poder de levar as pessoas a agirem, para o bem ou para o mal.

Para construir temos que cavar, abrir vala profunda e colocar alicerces sobre a rocha. Para destruir basta uma pequena fagulha”.

Para construir temos que orar, jejuar, chorar, buscar a vontade de Deus, abrir mão de algumas coisas e investir (tempo, dinheiro, esforço). Para destruir, é só pronunciar algumas palavras impensadas.

Pense na tarefa de Moisés em libertar o povo e levá-lo a uma aliança com Deus.
Não foi algo do dia para noite!
Não teve passe de mágica!

Moisés foi preparado no deserto. Foi chamado por Deus. Enfrentou Faraó com as dez pragas. Instituiu a Páscoa. Foi perseguido pelo exército do Egito. Atravessou pelo meio do mar com pés enxutos. Ouviu várias murmurações dos israelitas. Encarou pelejas. Subiu ao monte Sinai. Passou alguns dias recebendo de Deus as orientações sobre toda a vida do povo de Israel.

Em poucas palavras relatei 31 capítulos do livro de Êxodo. Quanto tempo não foi? E as orações? Foi muito trabalho! Lágrimas. Dedicação. Noites acordadas. Muitos jejuns. Várias decisões. Procurando fazer tudo na vontade de Deus.

Depois de tudo isso, chega Arão, o irmão de Moisés, e destrói todo trabalho fazendo um bezerro de ouro. Simples assim. Em apenas 6 versículos (Êxodo 32), todo trabalho para construir uma aliança entre Deus e o povo vai se “escorrendo pelo ralo”.

NÃO FOMOS CHAMADOS PARA DESTRUIR!

Em determinado momento do ministério de Jesus, seus discípulos queriam fazer descer fogo do céu para consumir alguns samaritanos. O Mestre os corrigiu: “...o Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las.” (Lc 9.51-56)

"Os sábios escondem a sabedoria; mas a boca do tolo é uma destruição." (Pv 10.14)

O Senhor nos estabeleceu para construir não para destruir! (1Co 10.8; 13.10)

“Abençoai e não amaldiçoeis!” (Rm 12.14)

Ei! É trabalhoso construir, não destrói não, por favor...

Celson Coêlho
Editor do Blog
(Reprodução autorizada desde que mantida a integridade do texto, mencionado o autor: Celson Coêlho e o blog: http://www.ebqrecife.blogspot.com/)

quarta-feira, 6 de julho de 2011

EBQ Cajueiro - apresentações


Na manhã de domingo, dia 26/06/2011, tive a grata satisfação de comparecer a IEQ Cajueiro e presencear uma manhã festiva naquela EBQ.
A convite da diretora da EBQ local, irmã Lucilene, assisti a boas apresentações revistidas de muita criatividade. As apresentações (coreografia, teatro, declamações, etc) deveriam focar o livro de Lucas, lição do trimestre, e conter traços da cultura nordestina.
Foi gratificante ver o envolvimento de todos naquela EBQ. Que Deus continue abençoando a IEQ Cajueiro.
Abraços ao Pr Josenildo e Pra. Paula, também presentes do início ao fim das apresentações.
Seguem algumas fotos.
Com Pr. Josenildo e Pra. Paula

Irmã Lucilene - Diretora da EBQ

Mesa farta

Observando as apresentações

Os representates das classes, ao final das apresentações


O julgamento ficou na minha mão...

quinta-feira, 30 de junho de 2011

RECORDE DE VISUALIZAÇÕES


Nesse mês de junho, com o advento das festas juninas, uma de nossas postagens foi bastante acessada. O texto é de minha autoria e foi publicado em 17/06/2010. Visando despertar para reflexão, o artigo com o título FESTAS JUNINAS alcançou aproximadamente 300 visualizações no mês (escrevo essa postagem na noite do dia 28/06/11). Uma média de 10 visualizações, apenas nesse texto, por dia.

Com isso, este artigo foi o primeiro em nosso blog a ultrapassar a marca de 1000 visualizações. Destaco a importância e agradeço aos leitores pois nosso blog começou no anonimato. Com um trabalho básico de divulgação por (poucos) "email" de pessoas conhecidas. Esse blog não trata temas polêmicos, não é crítico de nenhum pregador ou cristão famoso e não tem como base a publicação de textos alheis encontrados na "internet", coisas que concedem "audiência".

GRAÇAS A DEUS E HONRAS A ELE!

Clique AQUI e leia o texto.

Continuo trabalhando e conto com suas orações!
Celson Coêlho
Editor do Blog

terça-feira, 28 de junho de 2011

REVISTA DE CRIANÇAS PARA ESCOLA BÍBLICA QUADRANGULAR (Jardim)


"A Igreja do Evangelho Quadrangular através da Secretaria Geral de Educação e Cultura em parceria com as Secretarias Estaduais desenvolveu este material com o objetivo de prestar subsídio ao Departamento de Educação Bíblica Quadrangular Infantil. Este material é destinado a classe do jardim, que corresponde a faixa etária dos 5 e 6 anos e foi elaborado por uma equipe de educadores do Rio de Janeiro a fim de auxiliar da melhor forma possível o pleno desenvolvimento deste departamento.

Sabe-se que o mundo sofreu e continua sofrendo diversas transformações e que direta ou indiretamente estas transformações afetam a vida do servo de Deus. É necessário buscar a identidade cristã no meio desta sociedade e proporcionar de forma sistemática o amadurecimento espiritual das crianças levando-as ao pleno conhecimento de Cristo.

Que este material possa contribuir para o desenvolvimento e amadurecimento do Departamento de educação Bíblica Quadrangular Infantil de sua igreja e que a cada aula o Espírito Santo possa trabalhar na sua vida e de seus alunos"

(extraído de www.quadrangulareducacao.org.br)
OBSERVAÇÃO: Ainda não tenho o material em mãos. Assim que o tiver compartilharei com os irmãos a satisfação de mais uma vitória alcançada pela EDUCAÇÃO QUADRANGULAR.
PARABÉNS PASTOR ALMIR E EQUIPE DA SGEC PELO BELO TRABALHO!

Celson Coêlho
Editor do Blog
Diretor DEBQ-PE

SOLICITAÇÕES:
Na Grande Recife, com Diretor Estadual, Celson Coêlho: ebqrecife@hotmail.com // ou pelo celular com o número fornecido na secretaria da IEQ Sede.
Outros estados: http://www.quadrangulareducacao.org.br/

REVISTA DE CRIANÇAS PARA ESCOLA BÍBLICA QUADRANGULAR (Maternal)

"Estamos orando para que o Espírito Santo de Deus lhe motive sempre mais a ser uma educadora incansável e caçadora de meios inspirados por Cristo para a inserção da “Palavra Viva” dentro do coração das nossas crianças. Nesta faixa etária: de zero a dois anos, entendemos que nossos pequenos gestos farão diferença na construção de cada um que o Senhor nos confiar. Na doçura do olhar e tocar, na firmeza no falar, no ambiente organizado e seguro, disponibilizaremos as estruturas necessárias para a expansão do Reino em cada coração.

Viver o Evangelho será nosso alvo constante. E como cachoeira, vamos emanar graça sobre quem estiver ao nosso redor. Disponibilizamos esta ferramenta, onde utilizamos uma equipe com conhecimentos práticos, pedagógicos e psicológicos, além de um relacionamento íntimo com nosso Deus, para fundamentar a instrução espiritual.

CRIADO POR ELE E PARA ELE é uma revista que levará o ensino da Criação como conhecimento, mas trazendo para o lado bem pessoal. Cada criança já ouvirá o amor de Deus e seus propósitos, registrando em seu coração sua importância para Cristo. Deus ordenou para inculcar. “ Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração:Ensine-as com persistência a seus filhos.

Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar”. Dt.6:6-7
Precisamos ensinar os padrões divinos com antecipação. “Destruídos os fundamentos que poderá fazer o justo?” Salmos 11:3.

Venha conosco. Será uma aventura! Veremos a direção de Deus, conduzindo a Igreja de forma nacional, um só corpo, determinando de norte a sul a conquista da nossa nação, a conquista desta geração.

- Livro todo colorido.
- Maternal apenas na versão Professor.
- Formato A4 (21cm x 29,7cm)"

LIÇÃO 1

TÚNEL DO TEMPO
LIÇÃO 2
ELE FEZ VOCÊ ESPECI AL
LIÇÃO 3
QUEM QUE FEZ VOCÊ?
LIÇÃO 4
QUEM EU SOU? SOU DIFERENTE E AMADO
LIÇÃO 5
CRIADO POR ELE: MINHA CABEÇA, TRONCO E MEMBROS
LIÇÃO 6
CRIADO POR ELE: MEUS OLHINHOS
LIÇÃO 7
CRIADO POR ELE: MINHA BOQUINHA
LIÇÃO 8
CRIADO POR ELE: MEU NARIZINHO
LIÇÃO 9
CRIADO POR ELE: MEUS OUVIDINHOS
LIÇÃO 10
CRIADO POR ELE: MINHAS MÃO ZINHAS
LIÇÃO 11
CRIADO POR ELE: MEUS PEZINHOS
LIÇÃO 12
CRIADO PARA ELE: MENINO E MENINA
LIÇÃO 13
CRIADO PARA ELE: EU, SER ÚNICO

OBSERVAÇÃO: Ainda não tenho o material em mãos. Assim que o tiver compartilharei com os irmãos a satisfação de mais uma vitória alcançada pela EDUCAÇÃO QUADRANGULAR.
PARABÉNS PASTOR ALMIR E EQUIPE DA SGEC PELO BELO TRABALHO!
Celson Coêlho
Editor do Blog
Diretor DEBQ-PE

SOLICITAÇÕES:
Na Grande Recife, com Diretor Estadual, Celson Coêlho: ebqrecife@hotmail.com // ou pelo celular com o número fornecido na secretaria da IEQ Sede.
Outros estados: http://www.quadrangulareducacao.org.br/

domingo, 5 de junho de 2011

Igreja do Evangelho Quadrangular forma primeira turma de Bacharéis em Teologia

A IEQ em Curitiba forma a primeira turma de Bacharéis em Teologia concebidos com a identidade Quadrangular. Depois de alguns anos de estudo, o convênio feito pela Secretaria Geral de Educação e Cultura da IEQ dá seu primeiro fruto.
Destacamos a importância da formação consistente de obreiros para o ministério. Vivendo em época que obreiros e igrejas vivem ávidos por campanhas e mais campanhas. Os crentes são alicerçados nas campanhas realizadas nas igrejas. Todo mês tem que ter uma nova campanha, se não houver... Quando as ideias para campanhas começam a fugir dos princípios bíblicos, as aberrações despontam.
Vemos o bom exemplo mostrado pela IEQ em Curitiba, investir na educação. Muitas outras IEQ´s seguiram este caminho. Dentro de alguns meses, outras IEQ´s terão turmas formadas em seus pólos. O curso de teologia não garante bons obreiros, mas é uma boa contribuição.
AVANTE EDUCAÇÃO QUADRANGULAR!
PARABÉNS!!!

(segue abaixo a palavra paranifal proferida pelo Pr. Marcos Lapa por ocasião da formatura // extraída de www.quadrangulareducacao.org.br >> para saber mais sobre a estrutural educacional da IEQ acesse: Evangelho Quadrangular, uma perspectiva da educação)


“Ilustríssimos e Mui Dignos membros da mesa diretiva desta solenidade, autoridades eclesiásticas e civis, professores tutores, professores homenageados, senhores familiares e amigos dos formandos desta noite, irmãos em Cristo e amados afilhados da primeira turma de bacharéis em teologia da Igreja do Evangelho Quadrangular, pastor nome de turma: Rogério Amorim, por ocasião dos 60 anos de fundação da nossa Igreja no Brasil – o Jubileu de Diamante, boa noite, paz seja convosco! Ao nosso Deus Todo-Poderoso, ao Altíssimo, razão e significado da nossa existência damos honra, glória, majestade e louvor, hoje e para sempre. A ele peço aos senhores o seu melhor aplauso. Lembro-me do desejo acalentado no coração dos pastores da nossa amada Igreja, do sonho e aspirações dos nossos educadores apaixonados ao longo dos 54 anos de existência do Instituto Teológico Quadrangular, e dos seminaristas que aguardaram ansiosamente pela Faculdade Teológica Quadrangular, a nossa FATEQ, que foi inaugurada e se tornou possível através da parceria com o Centro Universitário Leonardo Da Vinci, a UNIASSELVI. No ano de 2007, em agosto, após várias reuniões entre a Secretaria Geral de Educação e Cultura e o Superintendente de Ensino da UNIASSELVI Prof. Francisco Fronza, ainda na gestão da Pastora Mara Cristina Lau, assessorada pelo Pr. Almir de Paulo e equipe, e apoiada pelo Conselho Nacional de Diretores, as aulas se iniciaram em todo o Brasil em 14 pólos de estudo a distância semipresencial. Em meu nome, e em nome de todos os professores autores dos livros das disciplinas do sistema à distância deste bacharelado temos muito para agradecer: primeiramente a Deus, à IEQ, à 10ª IEQ de Curitiba na pessoa do Rev. Rogério Amorim que acolheu este pólo de estudo, à SGEC, à UNIASSELVI, ao Prof. Fábio Roberto Tavares, coordenador do curso que acessivelmente e em harmonia com a IEQ, juntos, estabeleceram a Matriz Curricular e definiram a seleção dos mestres autores, e mui especialmente aos nossos alunos e hoje formandos que acreditaram neste projeto da SGEC, e vêem o seu ideal concretizado. Hoje, agradeço esta grande honra de paraninfar a 1ª Turma de teólogos quadrangulares formados pela ação educacional da nossa própria Igreja, meus queridos alunos e afilhados, muito obrigado! Esta turma tem um diferencial, pois a maioria de seus componentes são pastores titulares ou ministros ordenados da Igreja Quadrangular, já tendo passado pelo ITQ. Este é um grande exemplo, e me inspira a citar o chamado do profeta Oséias que se encontra no verso 3 do capítulo 6 de seu livro: “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor”.

É isto sim meus queridos formandos, vocês estão certos, e que vocês prossigam conhecendo ao Senhor através deste conhecimento genuíno que o Antigo Testamento nos revela, ou seja, um conhecimento que gera vida, vida primeiro para si mesmo, depois vida para manifestar e gerar a própria vida de Deus em outros corações. Amados, como teólogos da Igreja do Evangelho Quadrangular, vocês recebem de Deus e da Igreja uma grande e solene responsabilidade, a de defender e propagar a sã doutrina, a verdade que leva à salvação. Para isto estudamos teologia, pela sede de conhecer acerca das coisas de Deus, pela fome de se alimentar da palavra de Deus, pela necessidade premente para o exercício bom do ministério para realizar um trabalho com responsabilidade, consciência e consistência, agregando conhecimentos científicos e éticos das várias ciências relacionadas à teologia, a filosofia, a sociologia, a psicologia, a antropologia, a história, a pedagogia, etc. E também pela necessidade premente que nos cerca devido à realidade da sociedade brasileira em relação às novas propostas de leis que se levantam.

A teologia não é pretenciosa, como o próprio termo lhe sugere, antes de tudo ela é necessária, pois não há um ser humano sequer destituído de um posicionamento teológico, e através desta atitude conduz os seus próprios caminhos pela vida. Então, quero frisar e esclarecer que teologia é o estudo sobre Deus, o estudo das coisas de Deus e das relações humanas e da Divindade entre si, e do Criador com o universo criado. É ciência porque pode ser provada, é eficaz porque não propõe teorias, mas declara a verdade, pois, a Bíblia que é sua fonte, é objetiva e factível em todas as suas afirmativas, responde a todos os questionamentos existenciais humanos e sobre a vida eterna. Queridos, Deus é incompreensível por ser quem é, ou seja, ilimitado e infinito, mas é possível estudá-lo, pois, tudo o que se pode observar e conhecer a respeito dele, dos seus planos e da sua vontade nos foi possível pela sua automanifestação, ou seja, ele quis se revelar e se deu a conhecer através dos meios possíveis à nossa percepção e entendimento. Ele o fez através da natureza, o faz também através da nossa consciência, e percebemos o seu grande poder e as suas maravilhas na nossa própria constituição humana – corpo, alma e espírito.

Também de uma maneira especial, ele se deu a conhecer através da sua palavra inspirada e santa, compreensível, inteligente e acessível, e de uma maneira gloriosa, impactante e inigualável na pessoa de seu Filho Jesus Cristo. Amados, temos em nós a Imago Dei, a imagem de Deus, que possamos honrar esta distinção, desenvolvendo em nós, mais e mais, dia-a-dia, o seu caráter. Que a imagem e a estatura de Cristo, o nosso amado Salvador, seja vista em cada um de nós. E vocês alunos agora formados, continuem usando e manuseando a Bíblia, pois o conhecimento dela lhes dá autoridade, e o Senhor Jesus que nos comissiona para a sua obra, nos concede o privilégio de, na unção do Espírito Santo, falarmos da parte de Deus e a partir dele. Parabéns, um grande abraço, sucesso no seu futuro e que Deus abençoe a vocês todos. Muito obrigado.

Formatura da Turma Pr. Rogério Amorim, Curitiba, 14 de maio de 2011; 20:00, Centro de Convenções de Orleans, Discurso do Paraninfo da 1ª Turma de Bacharéis em Teologia da Igreja do Evangelho Quadrangular"

quarta-feira, 11 de maio de 2011

NOVAS REVISTAS DO DEBQ (cartaz)

Cartaz usado no DEBQ sede em Recife, para divulgação das revistas.

sábado, 23 de abril de 2011

CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES, vem aí...



SÁBADO DIA 30/04/2011

ÀS 14:00H, NA IEQ SEDE
PARA TODOS OS PROFESSORES DE JOVENS E ADULTOS
(Haverá uma apostila para os interessados, ao valor de R$ 5,00 > > "não é obrigatória", a capacitação é GRATUITA. Quem desejar, deverá solicitar via seu diretor da EBQ)

Escola Bíblica Quadrangular


Celson Coêlho

sábado, 9 de abril de 2011

EM DEFESA DA REVISTA DO DEBQ, reposta a uma análise míope em um texto anônimo


Em uma reunião dessas
, ouvi dizer que escreveram críticas quanto à revista do DEBQ em um blog.
Primeira revista da nova fase
1º Quadrimestre - 2008
Desconsiderei. Apenas citaram, não me informaram. Pensei ser futilidade. Irrelevante.
Passados os dias. Esquecido o assunto. Pesquisando na “internet” sobre a importância da utilização de revistas de Escolas Bíblicas. Deparei-me com o texto.

Nesse momento, não poderia fazer vista grossa. Li o arrazoado. Na verdade são dois textos. Um sobre a revista de Jovens e Adultos, outro sobre a de Adolescentes. Além de confirmar a falta de seriedade literária, constatei inconsistência de argumentos e informações.

Ponderei a validade de uma reposta. Para um leitor mais atento é rápida a conclusão acima. Defesa desnecessária. Contudo, duas razões levaram-me a escrever sobre o referido texto. Primeiramente pela responsabilidade de ser propagador e defensor do uso da revista na IEQ Pernambuco. Não sou melhor que ninguém por isso. Apenas obrigação. “Abracei” a proposta da nova revista do DEBQ e busco influenciar outros com a mesma visão.
Em segundo lugar, o meu blog é citado de forma direta, na imagem da revista e na sua referência. O meu blog (enfatizo o “meu”, pois o blog é pessoal e não institucional) tem se tornado referência em relação à revista do DEBQ. Não apenas em Pernambuco. Pessoas de outros estados encontram informações sobre as revistas e fazem contato comigo para esclarecimento (clique AQUI e veja). Também não me faz melhor que outras pessoas. Apenas resultado de um trabalho consciente. Graças a Deus e honras a Ele!

Por essas razões, escrevo a resposta nessa postagem. Os títulos dos textos são: “Adolescentes em preto, branco e amarelo – Análise dos novos livros da [sic] DEBQ” (a partir de agora citado como texto 1) e “Queremos o Novo, Chega do Velho! – Análise dos novos livros da [sic] DEBQ” (texto 2)[1] .
 
Ao citar partes dos textos, o farei em fonte AZUL. Mantendo o nível e respeitando as pessoas, ficarei a vontade no desenrolar da exposição. Quando lemos: “...acho que a revisão deixou a desejar... encontramos erros ortográficos, erros de justificação do texto...” (texto 1), entendemos que a postagem fora escrita com liberdade analítica. Inclusive, essa isenção chega a beirar o sarcasmo: “A revista dedicada a nós começa com muito humor pela capa” (t. 2); “Porque um padeiro adora a Arca?” (t. 2).
Não iria citar o “link” do texto para não conceder ibope ao referido blog. Talvez seja o objetivo do texto. Todavia, para clareza e veracidade dos argumentos, o citarei ao final do texto.

Vamos ao meu texto, sem deboche...


EXPLICANDO O TÍTULO DE MINHA POSTAGEM
2º Quadrimestre - 2008

O título deve indicar o assunto a ser tratado e, logicamente, estar ligado ao conteúdo do texto.
Os adjetivos escolhidos por mim não visam à ironia. MÍOPE e ANÔNIMO relacionam-se a Revista do DEBQ e análise de texto. Explico...
Conforme Dicionário Michaelis, MIOPIA é a “anormalidade visual que só permite ver os objetos a pequena distância do olho; vista curta.” A impossibilidade de ver algo distante. Neste caso, impossibilidade de ver a longo prazo. Nesse sentido que afirmo a miopia do texto. Esta crítica não tem bom senso. Não tem capacidade de olhar para trás e ver a história da Escola Bíblica na IEQ. Não consegue enxergar o projeto balizador da revista. Não sabe que “nunca na história de nossa igreja” tivemos um trabalho tão consistente com revistas de Escola Bíblica.
Miopia também em termos de futuro! O que temos agora ainda não é tudo. O uso pelas igrejas ainda não está a todo vapor. A equipe editorial está se formando, os escritores estão surgindo. Não posso comparar com as revistas da CPAD. Ela tem um dos melhores parques gráficos do Brasil. Contudo, não foi sempre assim.
 
Sem duvidar, o projeto da revista do DEBQ é um dos mais importantes da história da IEQ no Brasil. Decisivo para o futuro da igreja!
O outro adjetivo, ANÔNIMO, revela a filosofia de muitos na internet. Qualquer um pode falar qualquer coisa e ficar no anonimato. Sem compromisso. Sem responsabilidade.[2] Se alguém identificou o autor do texto, socorra-me. Não consegui. Por isso que em meu blog tem o autor. Um pouco de “quem sou”. Todos os textos escritos por mim seguem com meu nome. Nos textos de terceiros, subscrevo o nome e a fonte. Isso ocorre nos sites e blogs bem intencionados. Ética virtual. Respeito às pessoas. Adotei o princípio de não publicar os comentários anônimos em textos do meu blog. A maioria dos textos anônimos é de jogadores de pedras. Há alguns anos, li o excelente artigo do Pr. Isaltino Gomes, “A Arte de Discordar como Crentes.” Ele trata do anonimato cristão ao discordar. Ocorre nas igrejas corriqueiramente. “Ouvi falar...”, “Alguém me disse...” são frases conhecidas. Sugiro a leitura do texto de Isaltino. ("Link" ao final)


INCONSISTÊNCIA DE INFORMAÇÕES 
3º Quadrimestre - 2008

Para se posicionar corretamente em termos de ponto de vista, é de suma importância a boa definição de termos e informações. Se não, as pessoas não confiam nos argumentos expostos. Princípio de boa argumentação. Vale para o vestibular. Redação. Se não tenho conhecimento, não falo.
Vejamos as inconsistências:

1) Nos títulos temos: “Análise dos novos livros da [sic] DEBQ”. No decorrer dos textos encontramos repetidas vezes o termo LIVROS. Não são livros! São revistas! Revista é periódica. Livro não. Livro encerra um assunto por si (unitário). Revista tem novos temas a cada volume.

Embaralhando ainda mais os termos, lemos: “...há durante todo o livro comentários, de várias outras revistas, como CPAD, Central Gospel...” (t. 2) Os comentários encontrados na Revista de Jovens/Adultos são citações de livros. Ou seja, o uso dos termos foi invertido. Quando deveria usar REVISTA, usou-se LIVRO. Quando deveria usar LIVRO, usou-se REVISTA.
Não temos aqui apenas uma questão semântica. Por ser periódica, a revista facilita a estruturação de um currículo. Este abrange vários anos. Ou seja, uma formação cristã mais completa.
 
2) No início do texto 1 temos: “O Instituto Teológico Quadrangular entrega... seu novo material para as aulas em 2011!” As revistas não são publicadas pelo ITQ. Encontramos a informação correta sobre a publicação facilmente na 2ª página das revistas: Secretaria Geral de educação e Cultura (SGEC).

3) O texto expressa uma confusão quanto ao tema da revista. “Prossigo para o alvo” é o Tema do Ano Educacional Quadrangular. Não é o tema de nenhuma das revistas. A informação que esse tema “...é o mesmo para todos” (t.2) está errada. O Tema do Ano Educacional serve para o DEBQ, ITQ, MQCC e FATEQ. Todos os departamentos de ensino da IEQ. É o tema norteador para 2011. Evidencia-se total desconhecimento da estrutura educacional da IEQ, que tem abrangência nacional.
4) “Não há perguntas nem questionário...” Outra informação equivocada. Ao final de cada lição encontramos a APLICAÇÃO PESSOAL. Onde algumas perguntas são sugeridas para que os alunos avaliem suas ações diante do tema proposto.
 

INCOERÊNCIA DE VISÃO
1º Quadrimestre - 2009

Em alguns momentos a linha de pensamento do texto nos deixa confusos.

1) Lemos uma ironia em relação à revista de Jovens/Adultos, “uma das primeiras revistas com título, subtítulo e sub-subtítulo” (t.2). Sobre a revista de Adolescentes encontramos: “abaixo de cada título o assunto a ser tratado... pontos para o ITQ”. Deixa-me explicar como entendi: na revista de Jovens/Adultos não é bom ter informações a mais sobre o título. Na de Adolescentes as informações são bem vindas. Não parece incoerente?
  
2) Vejamos outro desconexo: “... o livro... segue a linha de organização tradicional da CPAD, qualquer membro da Assembléia que abrir o livro poderá sentir a semelhança nítida... Como na CPAD o livro possui...” (t.2) No outro texto encontramos: “Comparados aos da CPAD... os livros da IEQ são muito, mais muito fracos. Vai ver é por isso que as Escolas Dominicais nas Assembléias de Deus rendem tanto” (t.1) Afinal, as revistas da CPAD prestam ou não? No primeiro momento declara-se que a revista do DEBQ é semelhante à revista (livro) da CPAD, sendo que a do DEBQ é fraca. Logo, a da CPAD também é fraca (questão de lógica). Porém, depois é declarado o valor da revista da CPAD para “as Escola Dominicais nas Assembléias de Deus.” Incompatível...
 
3) Vamos ampliar a análise quanto a questão da incoerência. O nome do Blog é: Proibido Pessoa Perfeita. Como pode um blog com esse nome exigir uma revista perfeita? Se no Blog se defende a aceitação das pessoas sem exigir delas perfeição, por que exigir a perfeição da revista do DEBQ, sendo um projeto tão novo e ainda em desenvolvimento?

4) Ainda com visão macro da incoerência, lemos: “Jesus Cristo é pouco falado...” (t.2). Em outro lugar: “Jesus Cristo é pouco e quase não citado na revista!” (t.1). Qual texto do Blog Proibido Pessoa Perfeita é citado Jesus no título? De 12 textos, apenas um título cita o nome Jesus. Também não seria pouco? Na verdade, onde é visto o nome de Jesus no Blog? Tive a coragem de ler alguns textos do referido blog (corri o risco). Quatro textos desse blog não citam Jesus. Outro cita uma vez apenas. Também não seria muito pouco?


PERIGO TEOLÓGICO (beirando a heresia)

Aqui reside o maior problema!

2º Quadrimenstre - 2009

Eis o perigo: “Afinal estamos no Novo Testamento. Porque a necessidade de pregar o velho?” (t.2) Vejamos o que diz a Bíblia: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda obra.” (2Tm 3.16 e 17) Toda é toda! A Bíblia completa é inspirada por Deus. Ela TODA foi dada por Deus para a perfeição do homem. A Bíblia TODA é útil para ensinar, repreender, corrigir e educar na justiça. Por isso temos que estudar o livro de Levítico. Ele contém princípios eternos. “Cristão do Novo Testamento”? (t.2) Eu sou cristão da Bíblia! A Bíblia, de forma completa, habilita-me a servi a Deus conforme Sua vontade.

A ideia de excluir o Antigo Testamento (A.T.) da vida cristã é bem antiga. Um dos primeiros a sugerir foi Marcião, por volta do ano 160 d.C. A Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã (Ed. Vida Nova, 1990) o classifica como herege. Ele rejeitou o Antigo Testamento e fez “diferença entre um Deus Criador e um Deus Redentor; o julgamento pertence ao Criador; a redenção, ao Pai, que era o Deus desconhecido antes da vinda de Cristo.” (p. 474) Seu posicionamento ecoa em outros desdobramentos: Jesus não era o Messias do A.T.; Cristo não nasceu, apena apareceu; não sofreu, foi aparência.

3º Quadrimestre - 2009

O apóstolo Paulo nos alerta: “pois tudo quanto, outrora, foi escrito para nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança.” (Rm 15.4) Quando ele fala em escrito outrora (no passado) faz referência ao A.T. Sendo assim, como deixarei o A.T. de lado? O arrazoado diz: “Certo que é legal e interessante que se entenda do passado, da história, a final [sic] é cultura.” (t.2; grifo meu) Legal e interessante? História e cultura? Acredito existir um grande perigo nesse posicionamento! A própria Bíblia afirma que sua TOTALIDADE é proveitosa para a vida do seguidor de Cristo.


CONCLUSÃO

O posicionamento do texto em analise possibilita outros alertas. Contudo, para não alongar mais meu texto, finalizarei por aqui.

No arrazoado também é falado que a lição é muito curta. Como trabalho com Escola Bíblica na IEQ há alguns anos, lembro-me das reclamações das lições com muito conteúdo quando utilizávamos apostilas. Receio que os que hoje criticam a lição curta sejam os mesmos que hostilizavam as apostilas com lições longas. Semelhante aos críticos de Jesus em Mateus 11.16 a 19, nunca estavam satisfeitos. Ao final do verso 19 Cristo declara que a sabedoria é confirmada pelos seus resultados.

Com minhas palavras, expresso a frase que li no Twitter esta semana: a Bíblia na mão de um obreiro despreparado é semelhante a navalha na mão de uma criança...


  
REFERÊNCIAS
[1] Para esclarecer aos desavisados, o termo “sic” é um advérbio latino que significa “assim”, no sentido de “escrito dessa forma”. Ou seja, o original está escrito dessa forma, mesmo tendo erro de grafia ou gramatical. A expressão deveria ser “... do DEBQ” (Departamento de Educação Bíblica Quadrangular).
[2] A Constituição Brasileira diz: "é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (Art. 5º, Parágrafo IV). 

"LINKS"

A ARTE DE DISCORDAR COMO CRENTE: http://www.isaltino.com.br/1999/01/a-arte-de-discordar-como-crentes/
http://proibidopessoaperfeita.blogspot.com/2011/01/queremos-o-novo-chega-do-velho-analise.html

Textos do blog Proibido Pessoa Perfeita que não citam o nome Jesus (sem "link"):
  • SEU, MEU, NOSSO DOCE HUMILDE EGO;
  • Alexandre - Você vai ficar pensativo nós garantimos;
  • Seja um idiota;
  • O que fazer com os SENTIMENTOS?; e
  • A PAZ que o mundo precisa (1 citação apenas).
Celson Coêlho
Editor do Blog
Diretor Estadual DEBQ-PE