quarta-feira, 4 de abril de 2012

JESUS MEU PRESENTE ESPECIAL - Revista DEBQ Maternal 2T2012 (3 e 4 anos)



Olá! Aqui estamos para compartilhar o amor de Deus aos pequeninos. Você que trabalhou a primeira revista do trimestre pode acompanhar o bom desenvolvimento das crianças no conhecimento de Deus como o Criador de tudo e de todos, poderá então dar continuidade a este ministério tão especial.

Nesta segunda revista abordamos paternidade de Deus, em Jesus Cristo. A identidade de filhos de Deus deve ser transmitida aos pequeninos: somos da família de Deus! Através das lições a criança deverá ser ensinada que Deus a ama como ela é, e que Deus se importa tanto com ela que enviou Jesus, o nosso melhor presente. Ao longo do trimestre a criança aprenderá que Jesus, o filho de Deus, vai proteger curar, e será seu melhor amigo e o único Salvador, o qual caminhará para sempre ao seu lado. Ao receber Jesus a criança se torna filha de Deus, tem uma nova identidade e passa a fazer parte da grande família do Senhor!

Enfatize que Jesus é o filho de Deus, conte as historinhas de forma que a criança vá compreendendo que o bebezinho Jesus cresceu, e então ele percorreu várias cidades, foi ensinado, curando e cuidando das pessoas, e hoje cuida das crianças e quer ser seu Salvador. Portanto, como filhos de Deus, passamos a ser família de Jesus também!

Desejo que você também possa crescer em graça e conhecimento e também seja renovado (a) no amor do Pai.

Sumário
Conversa de Professor 4
Lição 1 - Onde está o bebê Jesus? 06
Lição 2 - Jesus está me chamando 09
Lição 3 - Conversando com Papai do Céu 11
Lição 4 - Jesus vai me curar 14
Lição 5 - Ai, ai que medo 17
Lição 6 - Sou uma árvore boa sim 20
Lição 7 - Que legal, uma história 23
Lição 8 - Só tem isso? 26
Lição 9 - Não vou tirar os olhos de Jesus 29
Lição 10 - Viva Jesus, Viva 30
Lição 11 - Ame a todos 32
Lição 12 - Não vou esquecer 38
Lição 13 - Sou um Missionariozinho 41

(Fonte: www.sgec.org.br)

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante.
Porém, comentários ANÔNIMOS não serão publicados.
Celson Coêlho