sábado, 1 de setembro de 2012

DEVEMOS INICIAR (entre aspas #5)

"Devemos iniciar a necessária reforma desafiando a validade espiritual do externalismo. Deve-se mostrar que o que o homem é, é mais importante do que o que ele faz. Enquanto a qualidade moral de qualquer ato é conferida pela condição do coração, pode haver um mundo de atividade religiosa que provém, não de dentro, mas de fora, e que parece ter pouco ou nenhum conteúdo moral. Esse comportamento religioso é imitativo ou reflexo. Brota do generalizado culto da comoção e não possui nenhuma vida interior veraz.


A mensagem “Cristo em vós, a esperança da glória” precisa ser restabelecida na igreja. Precisamos mostrar a uma geração de cristãos agitados, quase frenéticos, que o poder está no centro da vida. Velocidade e barulho são evidências de fraqueza, não de força. A eternidade é silenciosa; o tempo é ruidoso. Nossa preocupação com o tempo é triste evidência da nossa básica falta de fé. O desejo de sermos dramaticamente ativos é prova do nosso infantilismo religioso; é um tipo de exibicionismo comum no jardim da infância."
(A. W. Tozer, em “A Raiz dos Justos”, pg. 50; Destaque meu)

1 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante.
Porém, comentários ANÔNIMOS não serão publicados.
Celson Coêlho