segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

SENTIMENTALISMO NÃO EDIFICA (ou CUIDADO COM O QUE VOCÊ LÊ!)


Meu amigo, vejo cada coisa!
Estou fazendo um estudo sobre o livro de Neemias. No capítulo 1.11 diz-se que Neemias era “copeiro do rei”. Tentando agregar aos livros que consulto, tentei ler algum estudo interessante na Internet. Achei um que o autor diz que ser copeiro do rei era algo simples, não tinha valor nenhum. Era uma função insignificante. A ideia é expressar que mesmo numa função sem valor, Neemias fez grande obra por confiar em Deus. Por parecer piedoso, muitos compram a ideia e passam a frente tal explicação do texto bíblico. Mas a verdade não é bem essa...
Tenho em mãos quatro comentários bíblicos. Os quatro são enfáticos em demonstrar a importância da posição de copeiro do rei. “Neemias era copeiro de Artaxerxes I, rei da Pérsia. Era, contudo, muito mais que um simples criado doméstico. Por todo o Oriente Médio esse ofício significava posição de influência e honra.” (Comentário Bíblico Broadman, Vol. 3, pg. 495) Pelo amor de Deus! De onde o internauta tirou aquela ideia?
A parte os comentários, que têm seu devido valor. Podemos recorrer à própria Bíblia. Na verdade devemos! Esse é um dos passos mais importantes na interpretação bíblica. A história de José no Egito (a partir de Gênesis 40.1) fala-nos de um copeiro. Ele era responsável por dar o copo “na própria mão de Faraó” (Gn 40.11). Foi ele que, estando próximo a Faraó, sugeriu que chamasse José na prisão para interpretar-lhe os sonhos. Isso exprime proximidade e confiança do rei. Como ser copeiro não tinha valor nenhuma?
A explicação com cunho piedoso está equivocada. Sincero, mas errado! Piedade sem balizamento da verdade bíblica não passa de sentimentalismo. Sentimentalismo não edifica!
Devemos ter o devido cuidado com aquilo que lemos na internet. Para isso, devemos:
1) Ter site/autores de referência: reconhecer sua originalidade, sua formação, compromisso, etc;
2) Observar suas fontes ou inspirações. Onde ele está “bebendo”? (todo escritor que se preza revela suas fontes: livros, links, palestras, etc);
3) Compare com outros autores também de referência. O que dizem do mesmo assunto?
4) Em termos de fé cristã, compare com que a Bíblia diz sobre o assunto. (em outras áreas vale a ideia: vá aos originais!)
5) Por fim, tenha cuidado com aquilo que você divulga. Na igreja, se você é pregador, professor ou líder, você é formador de opinião. As pessoas “comprarão” aquilo que você fala. Isso tem um preço...
Que Deus nos abençoe!
Celson Coêlho
Editor do Blog