segunda-feira, 30 de março de 2015

DICA DE LEITURA - Deus Está Aqui, Max Lucado


Deus Está Aqui, Max Lucado, Mundo Cristão, 185 páginas.

Max Lucado é “Best seller”.
Eu não sou chegado a “best sellers”.
Conclusão: mantenho o afastamento regulamentar dos seus escritos.

Li um dos seus textos que ganhara de presente. Não foi empolgante e foi pouco instrutivo.
Deparei-me com esse em super promoção na livraria, quando folhei as primeiras páginas encontrei palavras impactantes:
“É o resultado de uma interrupção. Deus tocou o ombro coletivo da humanidade. ‘Com licença’, disse ele, e a eternidade interrompeu o tempo, a divindade interrompeu a carnalidade, e o céu interrompeu a terra na forma de um bebê. O cristianismo nasceu de uma imensa interrupção celestial.” (p. 11)
Seus capítulos são reflexões independentes, o que parece peculiar em Lucado. Contudo, o tema central é a encarnação. Propõe ainda em uma segunda parte do livro uma resposta dos cristãos a encarnação, que seria nossa imitação de Cristo.

Suas palavras são despertadoras. O texto bíblico é tratado de forma honesta e peculiar. Ao falar sobre três mulheres, Mulheres do Inverno, capítulo 8, o faz de forma espetacular. Também nos faz encarar o quanto temos de Jacó no capítulo 28, intitulado No Lodo de Jaboque.

Consigo agora ver Max Lucado com outros olhos.
O texto foi impresso pela Mundo Cristão, 2013. De fácil leitura e empolgante.
Excelente escrito.


Celson Coêlho

sexta-feira, 27 de março de 2015

A SANTIDADE DE JESUS NÃO AFASTAVA



“Não há a menor sugestão de que alguém tivesse medo de se aproximar dele [de Jesus]. Havia os zombadores. Havia os invejosos. Havia os que não o compreendiam. Havia os que o reverenciavam. Mas não havia ninguém que o considerasse santo de demais, divino demais ou celestial demais para ser tocado. Não havia ninguém que relutasse em aproximar-se dele por medo de ser rejeitado.”
(Max Lucado, Deus Está Aqui, pg. 54)

terça-feira, 24 de março de 2015

DICA DE LEITURA - De Dentro Para Fora, Larry Crabb


De Dentro para Fora, Larry Crabb, Editora Betânia, 256 pg.

Há algum tempo almeja ler esse livro. Na verdade há alguns anos ouvi a sugestão de um pastor e achei interessante o título e o assunto proposto.
Caminhei por outras leituras e guardei a informação.
Voltado o interesse pelo livro, fui à procura e comecei a leitura.

Sinto-me um pouco decepcionado com o texto. Muito longo e nada cativante.
Um dos comentários sobre o texto, na contra capa, diz que o autor é “inteiramente bíblico”. Bem, não foi o que se mostrou nesse escrito.

Quando Crabb faz uso do texto bíblico, como no capítulo 8 (O Problema da Cobrança), ao abordar a realidade de Jó, o faz de forma cativante e condizente.
Em outros momentos, de forma bem diluída, também aborda a questão da transformação interior a partir dos princípios bíblicos. Contudo, quem espera princípios bíblicos para a transformação interior se decepciona.

O gosto de decepção também se deu quando li outro livro de sua autoria, "Em Nome do Pai". Tratava sobre oração. (clique AQUI e veja sobre esse livro)
Quem tiver uma boa disposição e base no assunto sobre aconselhamento ou psicologia poderá gostar o livro. Caso contrário, será difícil encará-lo.

O livro não é fácil de encontrar. É da Editora Betânia, com edição de 1992. (No próprio site da editora consta como esgotado, clique AQUI)

Guardadas minhas limitações, achei uma leitura regular.

Celson Coêlho

sábado, 21 de março de 2015

SOBRE CONFIANÇA



“Não existe nada mais aterrador do que enfrentar um problema cuja solução não está em nossas mãos. Talvez a decisão mais difícil que o cristianismo exige de nós seja a de confiar. Detestamos ser dependente de outros porque nos acostumamos a não confiar em ninguém, ou pelo menos não confiar totalmente. Já estamos calejados. Todas as pessoas em quem confiamos, de uma forma ou de outra, nos decepcionaram. Então, concluímos: confiar plenamente em alguém é cometer suicídio.”

(Larry Crabb, De Dentro Para Fora, p. 16)

segunda-feira, 16 de março de 2015

EM BUSCA DA RESTAURAÇÃO - Estudando o livro de Neemias




EM BUSCA DA RESTAURAÇÃO
Estudando o livro de Neemias

SUMÁRIO

1. UMA TRISTE REALIDADE...................................................Ne 1.1-4
2. A IMPORTÂNCIA DA ORAÇÃO...........................................Ne 1.4-11
3. COLOCANDO-SE NA BRECHA...........................................Ne 2.1-20
4. RECONHEÇA O VALOR DAS PESSOAS............................Ne 3.1-32
5. ENFRENTANDO OPOSIÇÃO...............................................Ne 4.1-23
6. FAZENDO UMA GRANDE OBRA.........................................Ne 6.1-14
7. O FUNDAMENTO DA RESTAURAÇÃO...............................Ne 8.1-12
8. O ALVO DA RESTAURAÇÃO...............................................Ne 9.1-37
9. RENOVANDO A ALIANÇA...................................................Ne 9.38-10.39
10. A ALEGRIA DA RESTAURAÇÃO ..................................... Ne 12.27-47

Com a graça de Deus esse foi o terceiro texto que produzimos impresso em fevereiro de 2014.

Celson Coêlho


sábado, 14 de março de 2015

EM QUEM ESTÁ NOSSA CONFIANÇA? (Romanos 8)

*Celson Coêlho

Acabo de finalizar minha leitura bíblica de hoje em Romanos 8.
Não poderia ocorrer algo melhor. Que capítulo tremendo.

Quando passamos pelo capítulo 7, Paulo fala da lei e do pecado. Certa tristeza abate nosso coração ao ver o grande apóstolo falar da guerra interior que ele próprio sofria. Se ele vivia maus bocados, imaginemos nós? É o que pensamos...
A conclusão do escritor é alarmante: “Desventurado homem que sou! QUEM ME LIVRARÁ DO CORPO DESSA MORTE?” (Rm 7.24).

Se pararmos a leitura bíblica por aí parece que não tem jeito. Essa é a triste realidade do homem.
Mas não é bem assim...
No capítulo 8 é como se ele dissesse: “Podem parar com isso! Tem jeito sim e eu mostrarei qual o caminho. Antes que vocês desfaleçam, deixem eu lembrar um a coisa: “NUNHUMA CONDENAÇÃO HÁ PARA OS QUE ESTÃO EM CRISTO JESUS!” (Rm 8.1)

Ele continua com maestria revelando como “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8.28).
É impossível sim ao homem, mas o próprio Deus providenciou a solução:

“Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando seu próprio filho, em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus na carne, o pecado.” (Rm 8.3)

Para que possamos vivenciar isso a cada dia, temos que tirar essa certeza de algum lugar. Não pode ser apenas de nossas forças ou entendimento, é muito pouco. Aí o apostolo nos diz: “Calma! Eu sei que é difícil, também não consegui.”

Por isso “o próprio Espírito testifica com nosso espírito que somos filho de Deus” (Rm 8.16) é ele quem “nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós, sobremaneira, com gemidos inexprimíveis” (Rm 8.26).

Ora meu irmão, com toda sinceridade. Eu poderia dizer ao escritor bíblico: “Paulo, pode parar por aqui. Já é suficiente. Já me sinto encorajado. Aleluia! Que coisa boa.”
Mas o Espírito Santo, através do apóstolo Paulo, sabe que não é suficiente devido a nossa falência espiritual. E o término do capítulo 8 nos encoraja sobremaneira:

“Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que não poupou seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?” (Rm 8.31 e 32)

Paulo continua com perguntas retóricas para nos lembrar na conclusão do último versículo:

“NADA PODERÁ NOS SEPARAR DO AMOR DE DEUS, QUE ESTÁ EM CRISTO JESUS, NOSSO SENHOR.” (Rm 8.39)

 Aleluia!
Glória a Deus!
.