sábado, 4 de julho de 2015

O QUE É NECESSÁRIO PARA MATURIDADE CRISTÃ?


O texto de Hebreus (Hb) 5.11-14 nitidamente fala sobre maturidade cristã. Era o que faltava aos hebreus, recebedores originais dessa carta. Eles não entendiam nem aceitavam o sacerdócio de Cristo, que era superior ao de Arão (Leia Hb 5.1-10).

O autor de Hebreus até deseja falar mais sobre o tema: “A esse respeito temos muitas coisas que dizer...” (Hb 5.11), mas não era possível pela imaturidade dos ouvintes. Maturidade também é uma virtude importante em nossos dias. O que é maturidade? Qual caminho seguir para obtê-la? Como sei que a alcancei?

O capítulo 5 de Hebreus nos concede luz sobre o tema da maturidade cristã. Vejamos:

1. O que é necessário para maturidade cristã?

a) Tempo: “Devíeis ser mestre, atendendo ao tempo decorrido” (Hb 5.12). O tempo por si só não ensina nada. O aprendizado e as experiências vividas no decorrer do tempo possibilitam crescimento. Os hebreus, pelo que vivenciaram no decorrer do tempo, deveriam ter maturidade para ensinar a outros.

b) Alimento Sólido: “Alimento sólido é para os adultos” (Hb 5.14). Imagine um adulto, no auge da exigência física e mental imposta ao ser humano, alimentando-se apenas de comida para criança. Não terá energia nem disposição. Seu corpo ficará debilitado. Acredito que você já viu a imagem de uma pessoa mal nutrida, seu corpo é fraco. Aqui estamos falando da fraqueza espiritual, gerado pela falta de alimento sólido. Esse alimento é a Palavra do Senhor (Mateus 4.4).

c) Prática: “Pela prática, têm as faculdades exercitadas” (Hb 5.14). Para conseguir a maturidade cristã é necessário praticar a Palavra. Passado o tempo sem o alimento sólido temos o raquitismo espiritual. Tempo decorrido mais alimento sem a prática gera a obesidade espiritual. “A maturidade espiritual não advém dos eventos isolados nem de uma grande explosão espiritual. Advém de uma aplicação regular da disciplina espiritual” (Donald Guthrie).

A soma desses três ingredientes concederá maturidade ao cristão.

2. O que é maturidade cristã?

Conforme a analogia feita com o desenvolvimento humano, maturidade é deixar de ser criança (inexperiente – versículo 13) e tornar-se adulto (v. 14). Maturidade possibilita discernir não somente o bem, mas também o mal” (v. 14). Discernimento é a capacidade espiritual de distinguir as situações e até as intenções.

3. O que impede a maturidade cristã?

O maior empecilho para maturidade é ser “tardio em ouvir” (v. 11). Outras tradução dizem: “negligente para ouvir” (ARC) e “lentos para aprender” (NVI). O termo grego para tardio tem a conotação de preguiçoso. Ligado a audição expressava surdez, ou falta de capacidade para ouvir. O descaso e a descrença podem ser a origem dessa preguiça para aprender as verdades sobre Cristo. Isso é imaturidade.

4. Consequências da imaturidade:

a) Deixar de ser mestre (v. 11) – O autor não quer dizer que todos que são experientes serão mestres em termos de atividade ministerial. Para ele quem desfruta de maturidade tem a possibilidade de abençoar outras pessoas através de sua experiência de vida. O imaturo não desfruta dessa honra.

b) “Novamente... de novo” (v. 12) – Os ensinamentos sempre têm que ser repetidos para o imaturo. Ele está marcando passo. Não desenvolve.

c) Inexperiente (v. 13) – Literalmente significa “não aprovado”. O imaturo é aquele que não consegue ser aprovado na vida cristã por que o tempo não foi suficiente para ele aprender, sua alimentação ainda é para criança e não pratica a verdade.

Fiquemos com as palavras de John Stott e com o alerta de apóstolo Paulo:

“Cristãos imaturos parece que nunca conhecem sua própria vontade nem chegam a convicções firmes. Pelo contrário, suas opiniões parecem ser as do último pregador que ouviram ou do último livro que leram, e caem facilmente como presa de cada nova moda teológica.” (Stott)

“Irmãos, não sejais meninos no juízo; na malícia, sim, sede crianças; quanto ao juízo , sede homens amadurecidos.” (1ª Coríntios 14.20)


Celson Coêlho
Editor do Blog

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante.
Porém, comentários ANÔNIMOS não serão publicados.
Celson Coêlho