domingo, 9 de agosto de 2015

FACILITE O SURGIMENTO DE GIGANTES


Paulo foi um gigante do cristianismo. Escreveu 13 epistolas que chegaram até nós. Realizou 4 viagens missionárias desbravadoras. Fundou várias igrejas nas cidades que passou e constituiu valorosos líderes.

Mas, antes de ser Paulo, ele era Saulo. Antes de ser o gigante do cristianismo, era o carrasco dos que professavam a fé em Cristo. Seu oxigênio era as ameaças de mortes contra os discípulos do Senhor (Atos 9.1).
Em determinado momento de sua vida esse aterrador Saulo reconhece Jesus como Senhor. Começa a professar a fé em Cristo. Como eu e você um dia fizemos.

Sua conversão ocorreu em uma viagem. Foi algo fora do normal. Brilhou uma luz vinda do seu e ele caiu, foi seu encontro com Jesus (At 9.2,3). O que ocorreu? Os detalhes não sabemos. Como ocorre na conversão de tantas outras pessoas, também não sabemos.

A pergunta feita por Saulo é, de certa forma, repetida por todos aqueles que resolvem seguir Jesus: “Quem és tu Senhor?” (At 9.5). Mesmo sem falar nada essa inquietação sobrevém ao novo na fé: quem é esse Jesus que chamamos de Senhor?

No momento da conversão não temos clara resposta sobre essa indagação. Na verdade, infelizmente, muitos permanecem por anos na igreja sem saber quem é Jesus...
O aterrador Saulo se converteu, e agora? O que passou na cabeça dele? Quais seus medos e suas dúvidas?

Os homens que o acompanhavam não sabiam o que estava acontecendo (At 9.7).
Então, se levantou Saulo da terra e, abrindo os olhos, nada podia ver. E guiando-o pela mão, levaram-no para Damasco.” (At 9.8)

Essa é nossa realidade logo após a conversão. As coisas no horizonte não são tão claras. Não sabemos o que podemos fazer e onde vamos parar. Andamos “tateando” de um lado e outro para saber onde podemos ir na nova caminhada de fé.

E agora, o que será de Saulo com sua dificuldade de enxergar e caminhar?
Todos que iniciam a caminhada em seguir a Jesus precisam de ajuda para isso. Inclusive o destemido Saulo de Tarso.
Ele precisa de pessoas que lhe dêem suporte, que lhe ajudem na caminhada.

Ed Renê Kivitz nos alerta que a conversão não é a linha de chegada na corrida cristã. Pelo contrário, é a linha de partida. Não é o fim da caminhada, é o início!

Na vida de Saulo aparece um discípulo chamado Ananias. Ele é o primeiro a abençoar a vida do ex-carrasco. O encontro entre eles é relatado em Atos 9.17-19.

Vejamos o que Ananias fez por Saulo, suas ações são exemplos daquilo que podemos fazer por quem se converte a Cristo:
1) Obedeceu o propósito de Deus em fazer discípulos (e não convertidos);
2) Reconheceu que as outras pessoas também são instrumentos escolhidos por Deus;
3) Socializou o novo convertido. Ananias o cumprimentou chamando de “irmão Saulo”;
4) Orou por ele;
5) Abriu sua visão;
6) Possibilitou que ele fosse cheio do Espírito Santo;
7) Levou ao batismo;
8) Proporcionou alimentação; e
9) Fortaleceu sua vida.

O Saulo perseguidor foi transformado no inspirador Paulo. Foi um gigante da fé cristã. Suas obras e atitudes revelam isso.

Contudo, no seu início existiu um desconhecido Ananias. Para que novos Paulos apareçam, novos Ananias devem agir.

Novos gigantes da fé cristã estão nos bancos das nossas igrejas. São verdadeiros gigantes adormecidos. Estão apenas esperando que os Ananias da atualidade lhe abram a visão e fortaleçam sua vida.

Seja você um Ananias e deixe que Deus levante novos Paulos. Facilite o surgimento de novos gigantes da fé...


Celson Coêlho

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante.
Porém, comentários ANÔNIMOS não serão publicados.
Celson Coêlho