quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

FILME O “QUARTO DE GUERRA” – minhas impressões


Está semana assisti no cinema o filme Quarto de Guerra. Dos mesmos produtores de Prova de Fogo e Desafiando Gigantes, o longa tem um bom enredo e consegue de forma clara transmitir sua mensagem principal. Não é cansativo.

A história se desenrola a partir de um casal que começa a ter atritos no relacionamento. O marido, com sucesso profissional, acredita que a esposa lhe cause problemas. Ela, tenta resolver os desentendimentos guerreando com seu marido. Nesse ambiente de conflito se encontra a filha única do casal que começa a sofrer as consequências.

O propósito do filme é demonstrar que a comunhão com Deus através da oração pode transformar realidades que para o homem já não têm mais esperança. Pode conceder vitórias em guerras que parecem perdidas.

O que achei interessante no filme:

1) Ele revela que é válido lutar pelo casamento e pala família. Vemos descaradamente conteúdos novelescos e também em filmes sobre a destruição da família, onde se propaga traição, violência, etc. Esse filme vai na contra mão dessa onda de ataques a família.

2) A mulher tem papel fundamental na estruturação da família. A mulher traz para o relacionamento familiar o “cimento” da união, do coletivo, da preocupação, da valorização dos sentimentos. A onda da independência feminina traz certa influência sobre a mulher que a faz perder essa função de “elo”. No filme, a esposa, mesmo trabalhando fora de casa, entende seu papel de unificadora e luta para consolidar a família.

3) A oração é a arma mais importante em qualquer guerra. O filme inicia mostrando cenas de guerras e destacando que em todo combate existe um local onde o inimigo é vencido através de estratégias aprendidas e orientadas a partir desse local. Em nossas vidas, esse “quarto” de aprendizado e orientação espiritual é o nosso ambiente de intimidade em oração.

4) O filme transmite conteúdo bíblico-evangélico claro e consistente. A criação de uma “cultura evangélica” não é salvação da humanidade. Não é isso que destaco. A relevância encontra-se em pessoas que não conhecem o Evangelho puderem ter o contato com seu conteúdo (valores) de forma criativa e em seu momento de lazer (talvez até com o cônjuge) em um filme bem produzido.

O filme vale a pena ser assistido. Principalmente pelos casais. Que possamos somar o despertamento gerado por suas cenas ao conteúdo bíblico relativo à oração e praticá-la confiante que Deus tem boas novas para nossa vida e nossa família.

“Perto está o Senhor de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade”
(Salmos 145.18)

Celson Coêlho
.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante.
Porém, comentários ANÔNIMOS não serão publicados.
Celson Coêlho