sexta-feira, 11 de novembro de 2016

EU ESCOLHI CORRER COM OS CAVALOS

Por Celson Coêlho

Tenho em mãos um bom texto. Referência essa não apenas a qualidade da escrita. Mas também ao efeito criado na alma. A leitura que estou prestes a findar é da pena de Eugene Peterson. Mas algo chama a atenção na atual edição do livro: seu título.

O autor fala sobre o profeta Jeremias. Não é um comentário ao texto bíblico. São seleções de passagens biográficas do livro com o objetivo de refletir sobre o enfoque pastoral e pessoal a partir da vida do profeta. Peterson o faz de forma clara, objetiva e bíblica.

O título original do livro era “Corra com os cavalos”.[1] Refere-se à passagem que consta no capítulo 12.5 de Jeremias: “Se te fatigas correndo com homens que vão a pé, como poderás competir com os que vão a cavalo? Se em terra de paz não te sentes seguro, que farás na floresta do Jordão?” Isso foi uma admoestação divina as queixas do profeta. Conforme Eugene Peterson “Jeremias estava disposto a abandonar seu chamado divino e ser mais um dado estatístico em Jerusalém.” Esse trecho é crucial para vida do profeta e consequentemente para o relato do livro bíblico. “Sua resposta não foi dada verbalmente, mas por meio da sua biografia. A vida de Jeremias foi sua resposta: “eu correrei com os cavalos” (PETERSON, p. 17 e 18).

O título da edição atual é “Ânimo!”[2] O que nos chama a atenção nisso? Isso reflete a escolha da editora. Revelando possíveis indícios dos valores editorias: usa um termo mais “atual”, com viés psicológico, e, desemboca no alvo principal, o econômico, ou seja, mais vendas. Talvez alguns defendam o valor da simplicidade e chamada de atenção no título e também a real necessidade da editora se manter economicamente. Pode ser...

Contudo, para além das questões editorias, isso pode refletir as características do nosso cristianismo atual. Na prática cristã e nas pregações hodiernas se enfatiza o emocional e o dinheiro. Esses valores têm sua importância, mas não são principais. O afastamento do conteúdo bíblico enfraquece a prática cristã verdadeira. Não falamos da literalidade do texto. Mas sim dos princípios que estão expressos no conteúdo bíblico e que na vida do próprio Jeremias o fez deixar de ser uma criança que não sabia falar (Jr 1.6) e transformá-lo em “cidade fortificada, coluna de ferro e muros de bronze” (Jr 1.18).

Os valores da vida cristã estão além da emoção e do dinheiro. Eugene Peterson alerta que a religião da época de Jeremias “nada mais era do que a busca de auxílio sobrenatural para realização de tudo o que se desejasse: poder econômico, garantia de boa colheita, bem-estar, morte do inimigo ou vantagem sobre alguém.” Isso se assemelha com nossos dias? Contudo, a religião centrada em Deus, continua Peterson, “é um meio de descobrir o significado da vida, de preservar a justiça na sociedade, de encontrar caminhos para excelência em diversas áreas, de aprender a disciplina para viver com integridade, de compreender como Deus nos ama e como devemos corresponder a esse amor” (PETERSON, p. 59 e 60).

Jeremias trilhou e propagou essa segunda forma de vida com Deus. Optou por esse caminho de excelência não egocêntrica. Ele escolheu correr com os cavalos...




[1] Na primeira edição brasileira lançada pela editora Ultimato em 2003. Na edição americana de 1983: Run with the horses.
[2] PETERSON, Eugene. Ânimo! O antídoto bíblico contra o tédio e a mediocridade. 2ª ed. São Paulo: Mundo Cristão, 2008.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante.
Porém, comentários ANÔNIMOS não serão publicados.
Celson Coêlho