MINHAS LEITURAS



Minhas Leituras em 2015


8. “O Livro Mais Mal-Humorado da Bíblia”, Ed René Kivitz, comentário bíblico, 222 páginas, Editora Mundo Cristão. Estava viajando, faltavam 4 dias para voltar e havia concluído o livro que levara. Não poderia ficar tanto tempo sem leitura secundária. Por tempo desejava ler algum texto do Kivitz. Interessei-me por sua visão sobre a realidade da vida cristã. Esse livro foi fruto de uma série de pregações sobre Eclesiastes. Propões tratar a “acides da vida a partir da sabedoria do Eclesiastes". Bom livro.

7. “Viva a Ressurreição”, Eugene Peterson, espiritualidade, 125 páginas, Editora Mundo Cristão. Descobri um ótimo autor. O procurei pelas boas referências sempre feitas por Isaltino Gomes sobre os livros de Peterson em seu site (foi de lá que tirei a ideia do “minhas leituras”). Nesse texto o autor analisa a importância da ressurreição de Cristo na formação espiritual de seus discípulos. A ressurreição é o fator de fascínio que deve existir na vida do cristão apesar de sua vida rotineira. Magnífico com ele aborda a questão da idolatria no meio evangélico. Suas orientações quanto a separar o sábado (um dia para voltar-se para as coisas de Deus) também são ótimas. Excelente livro!

6. “De Dentro para Fora”, Larry Crabb, aconselhamento, 256 páginas, Editora Betânia. O segundo livro que leio de Larry Crabb. Segundo e último. Semelhante ao outro livro, esse não é nada empolgante. Sua proposta de transformação interior a partir de princípios bíblicos não é bem clara. Leitura razoável. (Mais considerações sobre o livro veja AQUI)

5. “A Bíblia e a Administração de Conflitos”, Paulo Roberto de Araújo, liderança e administração de conflitos, 136 páginas, Editora AD Santos. Ao ler o livro de administração de pessoas escrito pelo mesmo autor fiquei vislumbrado pela sua abordagem ao tema de relações pessoas. Pensei que esse segundo livro traria a mesma empolgação. Não o foi. Contudo o livro é uma boa opção para adentrar ao tema. O texto está divido em duas partes, a primeira descreve de forma resumida os sete tipos de conflitos que para o autor são os principais. Após essa introdução, a segunda parte aborda cada tipo de conflito a partir de cases bíblicos.

4. “Graça Para o Caído”, Hernandes Dias Lopes, vida cristã, 64 páginas, Editora Arte Editorial. Um estudo de João 8.1-11. Com conotações pastorais, acredito ser resultado escrito de algum sermão. Atitude bem valorizada pelo autor. Boa leitura.

3. “Pescadores de Mágoas”, Rubens Eduardo Cordeiro, aconselhamento cristão, 80 páginas, Editora Rádio Transmundial. O título do livro, juntamente com seu subtítulo (a arte pastoral de ouvir, entender e ajudar pessoas feridas) e o seu acabamento gráfico chamaram-me a atenção. O texto propõe trabalhar a metáfora que revela os “pescadores de homens” como “pescadores de mágoas” (p. 16). O pescador de mágoas é “mensageiro da esperança.” Bom livro.

2. “Protegendo o Coração”, Josadak Lima, Liderança, 55 páginas, Editora AD Santos. Este volume faz parte da série Saúde Emocional, voltada para liderança e discipulado. Havia lido os outros livros, faltava esse. Como sou um entusiasta da forma como Josadak trata o texto bíblico, adquiri assim que o encontrei. O autor tenta extrair verdades para o dia a dia a partir dos princípios bíblicos. Não se perde como alguns escritores que tentam tratar questões emocionais com princípios bíblicos, mas caminham pela psicologia. Mais uma vez a revisão do texto deixou a desejar. A Editora AD Santos desrespeita o leitor ao publicar tantos livros com revisões de baixo nível. Comentei anteriormente esse fato. Inclusive alertei a editora por email, sem resposta. Bom conteúdo. Péssima revisão.

1. “Deus Está Aqui”, Max Lucado, meditações, 185 páginas, Editora Mundo Cristão. Mesmo sendo um escritor “best seller” é o segundo livro que leio de Max Lucado. Definitivamente não sou chegado a “Best Sellers”. Essa leitura foi bem mais atrativa que a primeira. O poder de atração se deu pelas primeiras palavras na introdução, visto ainda na livraria: “o cristianismo nasceu de uma imensa interrupção celestial” (resumindo as 5 primeiras linhas). Seus capítulos são meditações independentes. Porém com “um fio condutor” entre eles, o tema da presença de Deus no mundo: a encarnação. De leitura fácil e com explanações bíblicas empolgantes. Excelente leitura. (Mais considerações sobre o livro veja AQUI)



Minhas Leituras em 2013

12. “A Bíblia e a Gestão de Pessoas”, Paulo Roberto de Araújo, 258 páginas. Editora A.D. Santos. Cada capítulo sobre a gestão de pessoas é analisado partindo de um texto bíblico. Assim, o autor extrai princípios bíblicos para fundamentar o relacionamento interpessoal. Excelente livro.

11. “Aimme Semple McPherson”, Edino Melo, 48 páginas. O propósito do autor é mostrar Aimee como pregadora. Ela foi fundadora da Igreja do Evangelho Quadrangular. Igreja ao qual faço parte desde a minha conversão. Quando encontro novos materiais sobre ela, tento adquirir para enriquecer meu conhecimento sobre a história da minha igreja. Boa leitura.

10. “A Mensagem de Gálatas”, John Stott, 171 páginas. Editora ABU. O grande erro gráfico não banaliza o valor do livro. Encontrei 4 páginas totalmente em branco no meio do livro. Stott é fabuloso interpretando a Bíblia. Como fica claro o conteúdo e entrelaçamento das verdades de Gálatas. Excelente leitura.

9. “Daniel, um homem amado no céu”, Hernandes Dias Lopes, 158 páginas. Editora Hagnos. Excelente exposição bíblica. Uma análise profunda, mas com clareza. Excelente leitura.

8. “A Segunda Vinda”, John Macarthur Jr, Escatologia, 232 páginas. CPAD. Trabalho gráfico de baixa qualidade. Capa péssima e muitas páginas com impressões distorcidas. O tema e o autor me despertaram. Faz uma análise das passagens bíblicas mais significativas sobre a volta de Cristo. Boa leitura.

7. “A Difícil Doutrina do Amor de Deus”, D. A. Carson, teologia, 96 páginas. CPAD. Não cogitava lê-lo. Adquiri numa boa liquidação. Porém, o determinante foi o autor. Em resumo, Carson explica que o amor de Deus está relacionado com sua santidade e soberania. Boa leitura.

6. “O Deus que Se Revela”, Francis Schaeffer, apologética, 140 páginas. Editora Cultura Cristã. Um pouco filosófico. Não pude dar uma maior concentração a sua leitura. Foi um pouco difícil. Leitura razoável.

5. “A Marca do Cristão”, Francis Schaeffer, vida cristã, Editora Abba Press. Essa leitura faz parte do meu propósito de ler grandes pensadores do cristianismo nesse ano. Constituisse um chamado ao verdadeiro amor cristão. Infelizmente esse texto de Schaeffer está entremeado por comentários de outro autor. Adquiri o livro para ler Schaeffer e não comentários sobre seus pensamentos. Boa leitura.

4. “Formação de Discipuladores”, Igor Pohl Baumann, discipulado, 128 páginas, Editora A.D. Boa leitura.

3. “Formação do Discípulo”, Igor Pohl Baumann, discipulado, 80 páginas, Editora A.D. Santos. Buscando ampliar a visão do tema. Boa leitura.

2. “A Importância de Ser Cheio do Espírito Santo”, Silas Malafaia, vida cristã, 64 páginas, Editora Central Gospel. Li porque ganhei de presente. Estava em minha estante há meses. Até vejo algumas pregações do Silas na TV. Contudo, esse texto foi irrelevante. Para um novo convertido talvez seja válido. Leitura razoável.

1. “Recomendações aos Jovens Teólogos e Pastores”, Helmut Thelicke, ministério, 62 páginas, Editora Sepal. Li pela segunda vez esse livro. A primeira estava cursando Teologia. Constituísse um importante alerta. Boa leitura.


Minhas Leituras em 2012

  
26. “A Igreja em Células”, Larry Stockstill, eclesiologia, 160 páginas, Editora Betânia. O subtítulo não é justificado no conteúdo do livro: “Uma visão bíblica da função das células na igreja local.” A visão do livro é mais prática do que bíblica. Porém, bem relevante. O termo “célula” ficou bem desgastado no contexto brasileiro. Sobretudo a partir da utilização que os brasileiros fizeram da “visão de Bogotá” recebida do César Castellanos. Neste livro o autor cita o “princípio dos doze” no capítulo 8. De forma bem consciente, sem sensacionalismo ou sacralidade do método. “As células são, simplesmente, um contexto para amarmos, inpirarmos e restaurarmos vidas, e não um sistema usado para controlá-las” (p. 135). Boa leitura.

25. “Como Implantar, Desenvolver e Manter Grupos Pequenos Fortes e Saudáveis”, Priscila Laranjeira, eclesiologia, 192 páginas, Editora A.D. Santos. Os livros dessa editora não têm boa revisão. Geralmente apresentam vários erros de grafia. Esse não foge a regra. Em minha pesquisa na livraria foi um dos poucos que se encaixavam no tema que tento esclarecimento: grupos no lar (ou grupos pequenos, ou células. Não gosto do último termo). Esclarece o início, estrutura e desenvolvimento desses grupos. Não concordo com o posicionamento de “não hesitar em usar novos na fé na liderança” (p. 117) expresso pela autora. O novo na fé pode se engajar no serviço cristão no início da sua caminhada. Porém, a Bíblia não incentiva seu exercício da liderança (1Tm 3.6; 5.22). O livro é bem esclarecedor. Sugiro aos interessados no tema. Boa leitura.


24. “Unidade, a missão conciliadora da igreja”, Josadak Lima, discipulado, 72 páginas, Editora A.D. Santos. Gosto do estilo de Josadak. Tenho o livro faz um tempo. Li o livro na semana que ministraria uma aula sobre o valor da unidade na igreja. Também estou delineando lições sobre comunhão para próxima apostila para ser aplicado na igreja local. Valeu pelo aprofundamento no tema. Boa leitura.

23. “Evangelismo e Discipulado”, Lisa Groves, discipulado, 167 páginas, Editora Quadrangular. Livro usado por muito tempo como texto da disciplina como mesmo nome no Instituto Teológico Quadrangular. Com esse objetivo, dispõe de tarefas e sugestões para discussões. Bem estruturado para esse fim. Bem esclarecedor para quem inicia nos temas. Achei interessante o capítulo 10, “Cosmovisão e Doutrina Bíblica”, ao tratar sobre discipulado. Esse capítulo é uma tradução e paráfrase do livro Power Evangelism (pg. 66-83), de John Wimber e Kevin Springer, esclarece nota. A autora ainda arrisca uma pincelada na “Cosmovisão Brasileira”, mesmo não sendo nativa. Boa leitura.
22. “Legado Espiritual”, Josadak Lima, liderança, 80 páginas, Editora A.D. Santos. Esse texto não segue no mesmo nível dos três primeiros. Ainda continua interessante, mas não se equipara. Os primeiros foram exposições do texto bíblico propriamente dito. Por tratarem do mesmo personagem (Moisés) e do mesmo livro da Bíblia em cada volume, possibilita uma compreensão mais abrangente. Neste volume tem-se “a base bíblica do legado espiritual nas primeiras quatro lições, e nas quatro últimas mostra a trajetória de Barnabé, que nos ensina como deixar um legado espiritual para a posteridade” (apresentação do autor). A trajetória de Barnabé foi analisada a partir do livro de Atos. Abriu-me a visão para o ministério de Barnabé, ainda não tinha atentado para isso... Boa leitura.

21. “Maturidade Emocional”, Josadak Lima, liderança, 80 páginas, Editora A.D. Santos. Nesse livro, a liderança de Moisés é vista a partir do livro de Números. As dificuldades da liderança são tratadas de forma bíblica sob a ótica de um grande líder: Moisés. Excelente leitura.

20. “Atitude Pessoal”, Josadak Lima, liderança, 80 páginas, Editora A.D. Santos. Retrata a postura de Moisés “depois da passagem pelo Mar Vermelho”. Ainda considerando o livro de êxodo. Excelente leitura. (Uma observação pessoal: no início do ano coloquei como propósito ler 20 livros nesse ano de 2012. Alcancei a marca com a graça de Deus e sem negligenciar a leitura bíblica devocional )

19. “Excelência Vocacional”, Josadak Lima, liderança, 80 páginas, editora A. D Santos. Volto a leitura de mais uma série de Josadak: Liderança Excelente. Este 1º volume contém 8 estudos no livro de Êxodo “antes da passagem pelo mar Vermelho” (conforme citado pelo autor). De alguns livros lidos desse autor, considero esse o melhor deles. O li de uma vez. O que me empolgou para completar a leitura da série. Nesse livro não encontramos o excesso de erros gráficos da outra série (citada por mim anteriormente. Contudo, essa edição é anterior àquela). Excelente leitura.

18. “A Missão de Deus”, Teston Gilpatrik, Missão da igreja, 119 páginas, editora Vida Cristã. Fiz uma releitura desse texto (2ª vez que leio). Leitura simples, porém consistente. O autor nos lembra que “temos que aprender primeiramente que nós somos os métodos de Deus na missão e os métodos humanos são secundários.” (p. 117) Seu subtítulo expressa o conteúdo: uma teologia com integridade. Excelente leitura.
17. “A Missão Como Obra de Deus”, Georg Vicedom, missão da igreja, 127 páginas, editora Sinodal. De início parecia uma boa leitura. Tornou-se maçante. Em alguns momentos o autor levantava demoradas discussões sobre a compreensão teológica alemã sobre o tema. Irrelevante. Leitura razoável.

16. “Aos Pregadores da Prosperidade”, John Piper, vida cristã, 33 páginas, ebook. Texto distribuído no Facebook por “Voltemos ao Evangelho”. Faz parte do meu interesse em adaptar-me a leitura de ebooks. Mais uma vez aproveitado em momentos que pareciam ser perda de tempo: filas. Parece-me ter alguns entraves da tradução. Boa leitura.

15. “Princípios de Interpretação da Bíblia”, Márcio S. da Rocha, interpretação bíblica, 47 páginas, ebook. Encontrei a referência no blog do Daladier Lima (www.daladier.blogspot.com.br). Baixei por curiosidade. Interessei-me ao “folhear” no computador e passei-o para o celular. Foi de ótimo proveito em algumas filas de banco e/ou supermercado. Texto simples e direto, bastante válido para quem deseja iniciar na compreensão da hermenêutica. Os princípios de interpretação são bem apresentados. Boa leitura.

14. “Plantar Igreja para Grande Colheita”, C. Peter Wagner, evangelização, 127 páginas, editora Abba Press. Livro prático e farto em estatísticas (a maioria norte americanas). Também recheado de experiências de plantação de igrejas. Meu “pé atrás” fica em relação a algumas posições doutrinárias do autor. Uma delas é sua concepção de batalha espiritual, que tende a se basear nos livros de Frank Peritti (autor de Este Mundo Tenebroso). Livro relevante. Boa leitura.
13. "A Raiz dos Justos”, A. W. Tozer, vida cristã, 107 páginas, editora Mundo Cristão. Tozer era um verdadeiro profeta. Os textos desses livros, como outros de sua pena, foram escritos inicialmente como editoriais de um periódico. Ele presa pelo equilíbrio: “Na igreja dois perigos precisam ser reconhecidos e evitados; são o coração frio e a cabeça quente.” (pg. 101) Mas sabe ser incisivo: “Por falta desse dom [discernimento] muitos bons servos de Deus continuam a perseguir vaga-lumes na equivocada crença que estão seguindo o fogo e a nuvem. E o fazem para grande dano das suas almas e para confusão de outros.” (pg. 102) O título desse livro já me despertará anteriormente. Porém não conseguia encontá-lo. Tozer deveria ser lido pela a igreja hodierna. Excelente leitura.

12. “A Formação de Um Discípulo”, Keith Phillips, discipulado, 174 páginas, editora Vida. Depois de uma sequencia de livros medianos e uma desistência de leitura (isso também acontece por aqui [risos]), desfrutei de três ótimos textos. Os dois anteriores e este. Mais um livro antigo, mais um texto ressuscitado. O fundamento do livro é esse: “Um estudo cuidadoso do ensino e da vida de Cristo revela que o discipulado possui dois componentes essenciais: morte de si mesmo e reprodução.” (pg 16). Muito fácil sua leitura. Livro divido em três partes: O que é discipulado?; Quem é discípulo?; e Como fazer discípulo?. Num total de 13 capítulos. Já vi edição mais recente na praça. Vale a pena sua leitura. Excelente leitura.

11. “Sal Fora do Saleiro”, Caio Fábio, vida cristã, 135 páginas, editora VINDE. Comecei a ler livros de Caio Fábio tardiamente. Não tive a satisfação de conhecer seus escritos quando exercia grande influencia sobre a igreja brasileira (não servia ao Senhor a época). Seus textos são desafiantes. “Vou transformar vocês naquilo que vai dar gosto ao mundo. Vou jogar uma ‘pitada’ de Deus neste planeta. E conto com vocês para serem esse tempero da graça divina sobre a Terra.” (palavras do autor sobre Mateus 5.13: “Vós sois o sal da terra”, pg 18) Seus livros são impactantes para mim. Esse não foge a regra. Quase não dava pausa em sua leitura. Exposição clara, sadia e prática da Bíblia. Melhor leitura que fiz no ano até agora. Excelente leitura.

10.“Integração Segundo o Novo Testamento”, Waylon B. Moore, discipulado, 160 páginas, editora JUERP. Depois de ressuscitar livros sobre discipulado de minha biblioteca e, quase, decepicionar-me, encontrei um texto antigo (1978) e muito bom. A preocupação do livro não é “ganhar”. Sua importância recai sobre “integrar” o novo convertido. “Ganhar e edificar andam sempre juntos nas páginas das Escrituras. Não há no novo Testamento nenhum exemplo de evangelismo sem consequente edificação. Eles são os dois gumes da espada de Deus para atingir os homens e para fazê-los verdadeiros discípulos de Jesus.” (pg. 11) Excelente leitura.

9. “Exposição da Epístola de Paulo a Tito” João Calvino, comentário bíblico, 70 páginas, editora Parakletos. Escrevendo artigo sobre capítulo 2 de Tito, após consulta de alguns comentários sobre a epístola, resolvi ler toda exposição de Calvino sobre o texto bíblico. Excelente exposição, nos serve como parâmetro para nosso trato com o texto bíblico. Ao interpretá-lo, Calvino tenta ser o mais fiel possível o próprio contexto bíblico. O comentário de Tito está incluso no volume que contém Timóteo (1 e 2) e Filemom. Excelente leitura.

8. “Revolução do Discipulado” George Verwer, discipulado, 99 páginas, editora Mundo Cristão. Objetivando aprofundamento no tema discipulado e evitando gastos com novos livros. Encontrei outro livro em minha estante ainda não lido. Texto mediano. Paguei o preço de ressuscitar livros antigos. Válido como despertamento para o tema, o que não foi meu objetivo. Leitura razoável.

7.“O Discipulado Verdadeiro” William MacDonald, discipulado, 64 páginas, editora Mundo Cristão. Ressuscitei livros da minha biblioteca que tratassem de discipulado. Texto antigo, de 1979. Acredito que tenha outra edição mais recente. Leitura fácil. O livro não tem divisões de capítulos, texto único e direto. Valeu-me como pontapé. Leitura razoável.

6. “Sabedoria: testada e madura” Josadak Lima, liderança cristã, 72 páginas, editora A.D. Santos. Oito capítulos baseados no livro de Eclesiastes. O texto não contém os mesmos erros de revisão dos outros livros da série. Mais uma vez de forma clara o autor expõe a sabedoria enigmática de Salomão em Eclesiastes. Já tenho outra série de Josadak em mente para leitura, em breve irei adquiri-la. Boa leitura.

5. “Fundamentos da teologia Histórica” Alderi Souza de Matos, 308 páginas, editora Mundo Cristão. Mais um livro da excelente Coleção Teologia Brasileira. O maior livro dessa coleção, segundo palavra do auto em palestra sobre o tema. Seu autor é um exímio historiador eclesiástico. O livro se torna completo com glossário teológico e filosófico, vasta referências bibliográficas e índices de nomes e de assuntos. Não deixa a desejar aos clássicos manuais de teologia histórica. Excelente leitura.

4. “Sabedoria: avalie e aplique” Josadak Lima, liderança cristã, 58 páginas, editora A.D. Santos. Terceiro livro da série. Trata da sabedoria exposta a partir de Provérbios, do capítulo16 em diante. Um texto simples, porém bíblico e encorajador. As falhas de revisão permanecem. O email enviado a editora, em relação ao outro livro não teve resposta. Boa leitura.

3. "Sabedoria: seja sábio e relacional",Josadak Lima, liderança cristã, 58 páginas, editora A.D. Santos. Segundo livro da série Sabedoria Aplicada. Trata-se de uma análise da sabedoria a partir do livro de Provérbios (os primeiros 15 capítulos). Poucos se aventuram a pregar ou comentar sobre este livro da Bíblia, apesar do seu vasto conteúdo sapiencial. Josadak escreve de forma simples e com coerência bíblica. Ainda surgem citações sem referências, como no primeiro texto da série. A editora mais uma vez deixou a desejar na revisão do texto. Agora, enviei um email a editora. Veremos se tem resposta... Boa leitura!

2. "Em Nome do Pai", Larry Crabb, oração, 190 páginas, editora Mundo Cristão. Por citações anteriores, sempre desejei ler Larry Crabb. Esse livro quase me frustrou. O livro não é ruim, mas é cansativo. O tema, oração, é destacado pelo viés de se relacionar com Deus. Ao contrário de usá-la como meio de obter favores divinos. Contudo, poderia ser mais condensado para maior proveito. Seus primeiros capítulos se tornaram repetitivos em suas conclusões, quase desisti. Crabb, especialista em aconselhamento cristão, tem um bom trato com o texto bíblico, a exemplo de sua análise do fato de Jesus ter amaldiçoado a figueira em Mateus 21.18-22 (pg. 157). Leitura regular!

1. "Sabedoria Espiritual e Vivencial", Josadak Lima, liderança cristã, 58 páginas, editora A.D. Santos. Livro fino e de fácil leitura. Faz parte da série Sabedoria Aplicada. Josadak tem se destacado em escrever textos em série sobre discipulado de liderança. O vejo como um bom expositor da Bíblia. A boa exposição bíblica não é falar (escrever) muito sobre um texto curto. Antes, é deixar o texto falar por si. Em oito capítulos sobre sabedoria, o autor expõe oito passagens bíblicas sobre o assunto. Parece-me que o último capítulo, Prudência nas Decisões, deixou a desejar ao analisar o encontro de Jacó e Esaú em Gênesis 33. No decorrer do livro são compartilhadas algumas citações de autores sem referências, exemplos: Ed Renê, pg. 4; Luis Coule, pg. 37, 39 e 43; Champlin, pg. 41. Poderia ao menos constar a referência bibliográfica ao fim do livro. A editoração do livro também deixou a desejar com vários erros gráficos. Exemplos: “Todo [tudo] indica que Paulo...” (pg. 2); Um “s” perdido em “... uma pessoa sábia coloca s idéias profundas em ação.” (pg. 11); e “Há muitas pessoas espertas o suficiente para conseguiu [conseguir] ter uma boa vida...”. Boa leitura!

Minhas Leituras em 2011

1."Fundamentos da Teologia Reformada", Hermisten Maia, Teologia, 220 páginas, Editora Mundo Cristão. Faz parte da coleção Teologia Brasileira. Mostra de forma clara e direta a teologia reformada. Livro rico em referências a textos reformados (calvinistas), o que era de se esperar de um texto sobre teologia histórica. Boa leitura. [a partir de agosto]

2. "Fundamentos da Teologia Bíblica", Valtair Miranda, Teologia, 138 páginas, Editora Mundo Cristão. 2º livro da coleção. Segue o padrão de texto claro e conciso. Descreve, de forma resumida, os temas teológicos em cada livro da Bíblia. Bom livro. Esperava mais. Ideal para iniciantes. Seguirei para o 3º livro da coleção...

3. "O Líder Cristão e o Hábito de Leitura", Altair Germano, Liderança, 93 páginas, CPAD. Livro singular com relação ao tema no meio cristão. Gerado a partir da dissertação de mestrado do autor, por isso está embasado em boa pesquisa, o que valoriza os capítulos sobre a perspecitva histórica da leitura. Muito boa leitura, não estava no meu planejamento mais sumcumbi a tentação. Valeu a pena! Todo líder cristão deveria lê-lo.

4. "Fundamentos da Teologia da Educação Cristã", Edson Lopes, educação cristã,  158 páginas, Editora Mundo Cristão. Melhor que os dois da mesma coleção que li anteriormente. Talvez pelo assunto, o qual é de meu interesse: educação na igreja. Destaco a historia da educação descrita nos capítulos 1 e 2, bastante relevante. Lopes nos lembra que a educação cirstã não está restrita a EBD, esse alerta permeia o texto. Boa leitura.

5. "Fundamentos da Teologia da Igreja", Carlos Caldas, eclesiologia, 103 páginas, Editora Mundo Cristão. O menor compêdio da coleção, conforme declaração do próprio autor em palestra. O li em viagem para São Paulo. Sua pequenez, contudo, não interfere na qualidade de abordagem do tema. Eclesiologia sem denominacionalismo. Melhor que os capítulos lidos sobre doutrina da igreja em compêndios de Teologia Sistemática. Inclusive, quem apenas conhece o tema através dos manuais de Teologia, sugiro a leitura desse lexto. Ao interessado ler esta coleção (Teologia Brasileira), esse livro é um bom começo. Excelente leitura.

6. "Fundamentos da Teologia da Vida Cristã", Marcos Granconato, 158 páginas, Editora Mundo Cristão. Parece que no decorrer da leitura desta coleção cada livro é melhor que o antecessor. Mesmo correndo esse risco, acredito que este livro foi o melhor deles (ao menos até agora). Nele, experiências não estão acima dos conceitos bíblicos. O autor fundamenta o viver cristão a partir dos preceitos bíblicos, e o faz de forma clara e brilhante. Com boa exposição dos textos bíblicos e ilustrações interessantes, descobri um grande autor que não conhecia. Procurarei outros livros dele. Excelente leitura.

7. "Pregação e Pregadores", Martyn Lloyd-Jones, pregação, 239 páginas, 4ª edição, editora Fiel. Para alguns poderia apenas dizer que Lloyd-Jones é Lloyd-Jones. Seus livros são fenômenais. Sua visão de Reino muito sadia e equilibrada. Neste livro, compartilhou aquilo que é seu forte: a pregação. Suas pregações assumiram formas literárias como exposições de vários livros da Bíblia, pois assim o fez por mais de 30 anos na Capela de Westminster, em Londres. Vale-nos o alerta no penúltimo capítulo, Ardis e Romance, onde o autor trata a questão do uso de sermões de terceiros. Isso quando a novidade era o gravador de fitas (o original do livro data de 1971), imagine agora com a facilidade do "doutor" Google? Também destaco o último capítulo, "Demonstração do Espírito e Poder", muito interessante sua visão da unção do Espírito. Sendo um "reformado", assemelha-se com a compreensão pentecostal clássica sobre a unção do Espírito. A leitura não é das mais atratativas. Demorei para finalizar. Fui salvo pelas quase 6 horas de viagem de Recife para Manaus. Boa leitura!

8. “As Cinco Linguagens do Amor”, Gary Chapman, relacionamentos, 234 páginas, 2ª edição, editora Mundo Cristão. Não me achego a livros que são “best seller”. Tenho sempre um pé atrás. Em sua capa, este livro já destaca: “sucesso mundial, mais de 5 milhões de exemplares vendidos”. Esse livro despedaçou minha regra básica. Acheguei-me a ele por indicação do Pr. Valdir Facioni. E como valeu. Gostei da figura do “tanque do amor”, que pode estar vazio ou cheio... De forma hábil, Chapman entrelaça princípios relacionais com narrativas de sua experiência de conselheiro conjugal, tornando a leitura fácil e prazerosa. Alguns erros gráficos/redacionais poderiam ser evitados, sendo uma 2ª edição revisada, como consta na capa do livro. Seu lançamento no Brasil foi em 1997. Por exemplo: “eles terem regressarem [terem regressado] ao mundo real.”  (pg 38); “Milhares de casais atestarão [atestaram] a validade do que você descobrirá pela leitura desta obra.” (pg 39); Dois “que”  juntos na página 71; por fim, na página 77, estando o autor referindo-se ao leitor, em uma mesma sentença, usa-se “ao cônjuge” e “a cônjuge”. Possível erro de tradução (Está é a 24ª reimpressão e com a nova ortografia). Contudo o livro é excelente. O padrão de folhas impressas usadas pela Mundo Cristão é agradável a leitura. Não cansa a vista. Fechei o ano com chave de ouro. Excelente leitura!